Palmeiras x Athletico-PR: Conmebol divulga análise do VAR de expulsão

Murilo recebeu o cartão vermelho nos minutos finais do primeiro tempo (Foto: Miguel Schincariol / AFP)


A arbitragem do empate em 2 a 2 de Palmeiras x Athletico-PR, na última terça-feira, foi motivo de muita reclamação por parte da torcida palmeirense e do técnico Abel Ferreira, que foram eliminados da Libertadores. No entanto, um lance em que não houve discussão foi a expulsão de Murilo, ainda no primeiro tempo. Foi exatamente essa análise do VAR que foi divulgada pela Conmebol nesta manhã.

GALERIA
> Confira os públicos do Palmeiras no Allianz Parque em 2022

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão-2022 clicando aqui

> Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

O momento da jogada foi aos 45 minutos da primeira etapa, quando o zagueiro do Verdão foi dar combate na intermediária e acabou cometendo uma entrada pesada em cima de Vitor Roque. No campo, o árbitro Esteban Ostojich (URU) entendeu que o lance seria para cartão amarelo e aplicou a punição, enquanto o garoto era atendido.

Foi suficiente para Nicolas Gallo (COL), responsável pelo VAR analisar a jogada e chamar Ostojich para o vídeo para a possível mudança para o cartão vermelho, uma vez que a entrada havia sido com força suficiente para comprometer a integridade física do atleta do Furacão. Confira o que disse Gallo para tomar a decisão:

- Perna esticada e dobra a perna (de Roque). Ou seja, contato pleno com intensidade alta. Nunca recolhe, deixa o pé seguir. Inclusive, depois disso ainda pega atrás. Além de ser uma zona sensível.

O VAR então chama Ostojich para ver com os próprios olhos aquilo que arbitragem de vídeo havia detectado para recomendar a expulsão de Murilo, que é confirmada pelo árbitro de campo.

- Me dê uma câmera ampla para ver a intensidade. Nicolas, vou mudar a decisão para o cartão vermelho - declarou Ostojich.

O Palmeiras reclama de dois lances que acabaram ignorados pelo VAR. Um no primeiro tempo, em uma cotovelada de Alex Santana em Rony, que causou apenas um cartão amarelo para o meio-campista do Athletico-PR. Depois, na segunda etapa, um pisão de Fernandinho em Rony, dentro da área, que seria um pênalti. No entanto, ambos os lances não foram publicados pela Conmebol como análise.