Palmeiras se manifesta contra ataques de jornalistas a Abel Ferreira

Abel Ferreira novamente foi alvo de críticas por parte de jornalistas (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)


O Palmeiras se manifestou contra o que chamou de "ataques" de jornalistas a Abel Ferreira. Desta vez as declarações partiram de Luis Augusto Simon, do Blog do Menon, e Mauro Cezar Pereira, comentarista da Rádio Jovem Pan e colunista do UOL. Ambos, segundo o clube, rotularam o técnico alviverde como "colonizador" por conta de fala sobre Gabriel Veron, após flagra em balada.


GALERIA
> Confira os públicos do Palmeiras no Allianz Parque em 2022

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão-2022 clicando aqui

> Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

Durante coletiva de imprensa depois da eliminação para o São Paulo, na última quinta-feira, o técnico palmeirense foi questionado sobre o episódio do jovem da base, que foi filmado em uma casa noturna de São Paulo ingerindo bebida alcoólica durante a madrugada na véspera do clássico pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

- Já disse várias vezes que os brasileiros são, de longe, os melhores que já vi jogar. Mas precisam evoluir muito a nível de educação e como homens, porque eles não têm essa formação. Eles às vezes não têm noção nenhuma do que estão fazendo. E isso está na formação - afirmou o português.

As palavras de Abel Ferreira foi interpretadas como a de um colonizador para alguns jornalistas. Menon, por exemplo, comparou o treinador a José de Anchieta, padre jesuíta espanhol que veio ao Brasil para catequizar e educar os indígenas no século XVI.

Já Mauro Cezar Pereira acredita que Abel Ferreira não falaria o mesmo se treinasse Jack Grealish, inglês do Manchester City. No entanto, o jornalista lembrou que Jorge Jesus também falava coisas do tipo sobre jogadores brasileiros quando treinava o Flamengo.

- (Sobre Veron) É uma questão de amadurecimento, muito mais do que educação. Eu não acredito que o Abel, como o Jesus falava isso na época de Flamengo, falaria isso se treinasse o Grealish do Manchester City, do inglês precisar de formação. Por isso eu acho que é visão de colonizador. Acho que esses portugueses vem para cá, acho ótimo, defendo, não sou apaixonado pelo Jesus, tenho críticas a ele, mas não acho legal esse tipo de conduta, falam num tom como se estivéssemos em 1500 - declarou Mauro na Rádio Jovem Pan.

Com isso, o Palmeiras publicou nota oficial, assinada por Leila Pereira, para se manifestar contra as falas dos dois jornalistas em relação a Abel. O clube disse respeitar a liberdade de imprensa, mas não tolera que se utilize "de ofensas pessoais em busca de audiência". Além disso, afirma que "o corpo jurídico do clube vai ingressar com as medidas cabíveis nas esferas cível e criminal".

Confira, na íntegra, a nota publicada pelo Palmeiras:

"A Sociedade Esportiva Palmeiras lamenta novamente vir a público para se manifestar contra ataques gratuitos endereçados ao treinador Abel Ferreira. Os insultos partiram, desta vez, dos jornalistas Luis Augusto Simon, do Blog do Menon, e Mauro Cezar Pereira, comentarista da Rádio Jovem Pan e colunista do UOL.

Ambos deturparam uma declaração dada pelo treinador após o jogo de quinta-feira a fim de difamá-lo, rotulando-o como colonizador. O Blog do Menon recorre, inclusive, a episódios históricos de violência ocorridos séculos atrás para ironizar o orgulho que Abel Ferreira costumeiramente demonstra pelo seu país.

Fundado por imigrantes italianos e abraçado ao longo do tempo por torcedores de diferentes nacionalidades e etnias, o Palmeiras não aceita que seus profissionais sejam atacados por causa de suas origens. Um português não tem o direito de expressar a sua opinião sobre os problemas educacionais do país onde vive há quase dois anos? Só os brasileiros podem falar a respeito das mazelas do Brasil?

Defendemos a liberdade de imprensa e a consideramos um instrumento indispensável para o bom funcionamento da democracia. Não toleramos, contudo, que profissionais de comunicação, de quem se espera equilíbrio e isenção, utilizem-se de ofensas pessoais em busca de audiência. O corpo jurídico do clube vai ingressar com as medidas cabíveis nas esferas cível e criminal.

Leila Pereira"

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos