Palmeiras evita que Real e Barcelona comprem Endrick

Palmeiras tem receio de que Receita espanhola fique com cerca de 15% do valor de uma possível transferência.
Palmeiras tem receio de que Receita espanhola fique com cerca de 15% do valor de uma possível transferência. Foto: (Marcello Zambrana/AGIF)

Sensação das categorias de base do Palmeiras desde que surgiu para as competições, o atacante Endrick, que chama a atenção nesta temporada do Campeonato Brasileiro sub-20, sofre grandes assédios de clubes gigantes europeus, como Barcelona e Real Madrid, mas, se depender do Palmeiras, este não será o primeiro destino de sua joia.

A razão é uma só: tributos impostos pela Receita da Espanha, que cobra uma taxa de 15% do valor das transferências de jogadores oriundos do Brasil. A Espanha é o único país que, já há alguns anos, cobra este 'pedágio' referente às negociações de futebol.

Leia também:

Por exemplo, caso Real Madrid ou Barcelona ofereçam 50 milhões de euros para o Palmeiras, cerca de R$ 259,6 milhões na cotação atual, a Receita iria pegar 7,5 milhões de euros, aproximadamente R$ 39 milhões.

De acordo com informações publicadas pelo jornalista italiano Fabrizio Romano, o vínculo de Endrick com o Palmeiras é válido até o ano de 2025 e a multa rescisória terá valor de 60 milhões de euros, aproximadamente R$ 316 milhões na cotação atual.

Sondagens de diversos clubes europeus já foram feitas, uma vez que Endrick atrai os holofotes de todas as grandes equipes do mundo. Real Madrid, Barcelona, Manchester City e Paris Saint-Germain são os postulantes a tirarem a joia do Palmeiras, mas seus pais e representantes sempre frisaram que o interesse inicial era de assinar o contrato com o clube brasileiro. Atualmente, Endrick alterna entre jogos com o time sub-20 do Palmeiras e sessões de treinamento com o elenco atual.