Palmeiras e Fortaleza empatam em jogo encerrado por causa de queda de energia

Em um confronto muito equilibrado, Fortaleza e Palmeiras ficaram apenas no empate em 0 a 0 no Castelão. Mesmo sem conquistar os três pontos, o time de Abel se manteve na liderança do Brasileirão, enquanto o clube cearense se complicou na última colocação do campeonato.

O jogo foi encerrado antes do previsto por causa de uma queda de energia. A luz dos refletores e de todo o estádio se apagaram aos 44 minutos do segundo tempo. O árbitro Wilton Pereira Sampaio esperou 30 minutos pelo reestabelecimento da energia, o que não ocorreu. Assim, ele decidiu encerrar o duelo.
Logo aos dois minutos de jogo o Fortaleza já mostrou o desejo aflorado de sair da zona de rebaixamento. Assim que o time recuperou a bola na defesa, Romarinho foi até a entrada da área e tocou para Zé Welison, que soltou uma bomba acertando o canto de Weverton. Contudo, a arbitragem de vídeo checou e marcou um toque de mão de Matheus Vargas na origem da jogada, anulando o que seria o primeiro gol da equipe mandante.

Depois, aos 11’, o Palmeiras tentou responder à altura. Danilo escapou pelo meio e abriu para Rony na direita. O atacante conseguiu invadir a área e achou um passe para o volante, mas a defesa do Leão afastou.

Aos 16 minutos foi a vez de mais uma chance perigosa para o lado cearense. José Welison lançou Pikachu, que tirou de Weverton mas não conseguiu finalizar. Depois, apesar do impedimento ter sido marcado, Moisés aproveitou a sobra e chutou na trave.

A medida em que a partida se encaminhou para 25 minutos, foi notório um maior equilíbrio entre os times. Primeiro, uma boa chance para o Verdão. Wesley recebeu na esquerda, passou pela marcação e cruzou. A bola sobrou para Rony, que bateu e viu o desvio da zaga impedir a abertura do placar.

Depois, Romarinho ‘abusou’ do direito de réplica e recebeu na esquerda, saiu da marcação e abriu espaço para a finalização. Contudo, o chute saiu fraco e ficou fácil para o goleiro palmeirense Weverton.

O time visitante passou a ter mais posse, mas ainda assim o maior perigo continuava a cargo do Leão do Pici com os diversos contra-ataques, encontrados principalmente em cima de eventuais erros do Alviverde. Aos 37’, um exemplo claro. Luan não conseguiu o corte, Moisés ficou livre de marcação e partiu em direção ao gol. O jogador invadiu a área e bateu rasteiro, mas Weverton salvou sua própria equipe.

Com cinco minutos de acréscimo devido à checagem do VAR e atendimentos médicos, oito finalizações para o time da casa, sete para o Verdão e nenhum gol marcado, a partida foi para o intervalo com o 0 a 0 no marcador.

Verdão faz partida abaixo, Leão não consegue o gol e 0 a 0 é mantido

As duas equipes voltaram do vestiário sem nenhuma alteração, mostrando que os treinadores gostaram daquilo que viram. Aos quatro minutos da segunda etapa, Luan, de novo, errou uma tentativa de corte, a bola sobrou com Romarinho que disparou em direção ao gol. Apesar do desvio da defesa, Crispim ficou com a sobra e assustou Weverton ao mandar um ‘cruzamento’ na direção do goleiro.

Aos sete e oito minutos, uma sequência de ataques e respostas. Primeiro, Scarpa cobrou escanteio, Zé Rafael desviou na primeira trave e obrigou Fernando Miguel a fazer uma grande defesa e impedir o primeiro tento palestrino. Depois, Yago Pikachu foi lançado por Felipe dentro da área, dominou e chutou rasteiro, nas mãos do camisa 21 do Verdão.

Com as entradas de Raphael Veiga e Breno Lopes no Palmeiras, a equipe tentou ficar mais ofensiva e começou a trocar inúmeros passes em busca de espaço na defesa do Fortaleza.

Uma das melhores chances ter surgido somente aos 31’, foi o perfeito reflexo do que foi o segundo tempo do confronto. Breno Lopes foi lançado por Rony e ficou cara a cara com Fernando Miguel. O goleiro do Fortaleza fez a defesa e evitou o gol. Na sequência, Scarpa foi derrubado no bico da área, cobrou a falta, mas a bola passou longe.

No lance em questão, um problema para o Palmeiras parece ter surgido. Na arrancada e no toque de cabeça, Rony sentiu um desconforto e desabou no gramado. Ao que tudo indica, o camisa 10 sofreu um problema muscular, que será devidamente explicado nas próximas horas pelo departamento médico do clube.

Após alguns bons momentos sem nenhuma chance de perigo criada, o Fortaleza tentou fazer a leve vantagem em campo permanecer. Depietri, que tinha acabado de entrar, driblou Luan aos 43’ e disparou em direção ao gol. O atacante passou também por Marcos Rocha e fez o cruzamento rasteiro, mas a bola não encontrou ninguém.

Já nos minutos finais de jogo, apagão na Arena Castelão por conta de um curto circuito em um dos postes do bairro. A arbitragem esperou por 30 minutos pelo reestabelecimento da energia, o que não ocorreu. Assim, Wilton Pereira Sampaio encerrou a partida, conforme previsto em regulamento.

Com o resultado e com o empate do rival direto Atlético-MG, o Palmeiras se manteve na liderança com 30, enquanto o Fortaleza não conseguiu sair da lanterna do Brasileirão, com apenas 11.

E agora?

O Fortaleza volta a entrar em campo na quarta-feira, contra o Ceará, às 20h, tentando defender a vantagem de 2 a 0 no duelo válido pela volta das oitavas da Copa do Brasil. Já o Palmeiras tenta reverter o placar mínimo diante do rival São Paulo, também pelo nacional, no Allianz Parque, na quinta, no mesmo horário.

FICHA TÉCNICA

FORTALEZA 0 x 0 PALMEIRAS

Local: Arena Castelão, em Fortaleza (CE)
Data/Horário: 10/7/2022, às 18h
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa/GO)
Auxiliares: Bruno Raphael Pires (Fifa/GO) e Bruno Boschilia (Fifa/GO)
VAR: Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro (RN)
Público e renda: 24.888 pessoas/R$ 848.958,00
Cartão amarelo: Rony (PAL)

FORTALEZA: Fernando Miguel; Habraão, Marcelo Benevenuto, Titi e Yago Pikachu; Felipe, José Welison, Matheus Vargas (Hércules, aos 19’/2ºT) e Crispim; Romarinho e Moisés (Depietri, aos 36’/2ºT). Técnico: Juan Pablo Vojvoda.

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Luan, Murilo e Piquerez; Danilo, Zé Rafael (Atuesta, aos 33’/2ºT) e Gustavo Scarpa; Wesley (Breno Lopes, aos 19’/2ºT), Dudu (Raphael Veiga, aos 19’/2ºT) e Rony (Gabriel Silva, aos 33’/2ºT). Técnico: Abel Ferreira.


Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos