Palmeiras busca encerrar maldição do 'clube dos 100%' na Libertadores

Gabriel Menino em ação pelo Palmeiras na sexta vitória do time na Liberta (Foto: Cesar Greco/SE Palmeiras)


Ao bater o Deportivo Táchira por 4 a 1, em duelo válido pela sexta rodada da fase de grupos da Libertadores, o Palmeiras se juntou a apenas outros três times que também conseguiram o feito de vencer todos os jogos em questão. O problema é que nenhum deles terminou com o título.

GALERIA

> Veja os 50 clubes com as marcas mais valiosas do mundo

TABELA

> Clique e confira a tabela completa e simulador da Libertadores!

No atual formato da fase de grupos do torneio continental, com quatro equipes em disputa, somente o Vasco, o Santos e o Boca Juniors, em 2001, 2007 e 2015, respectivamente, além do Palmeiras agora, em 2022, venceram todos os seus duelos.

Voltando para 2001, o grupo do time carioca contava com América de Cali (COL), Peñarol (URU) e o próprio Deportivo Táchira (VEN). Além das seis vitórias na primeira jornada, o Cruzmaltino ainda avançou às quartas da competição com mais dois triunfos. Contudo, foi eliminado com duas derrotas nas quartas para o Boca, que viria a ser o grande campeão.

O Santos, por sua vez, conseguiu igualar a marca estipulada pelo rival do Rio de Janeiro em 2007. Na chave, havia o Defensor (URU), o Gimnasia y Esgrima (ARG) e o Deportivo Pasto (COL). O Peixe foi mais longe, mas ainda assim viu a eliminação acontecer, na semifinal, diante do Grêmio.

Oito anos depois, foi a vez de um dos clubes mais emblemáticos da Argentina. O Boca Junior venceu os seis jogos disputados marcando 19 gols e sofrendo apenas dois. Os adversários foram o Montevideo Wanderers (URU), o Palestino (CHI) e o Zamora (VEN).

Porém, seguindo a ‘maldição’, o time de La Bombonera foi expulso da da competição nas oitavas de final por conta de incidentes ocorridos em seu estádio no jogo de ida contra o arquirrival River Plate.

Com o feito sobre o Táchira, o Palmeiras superou todas as outras três equipes em questão. Batendo recordes atrás de recordes, o time comandado por Abel Ferreira obteve a melhor campanha geral da Libertadores, além do melhor ataque da história do torneio nesta fase, sendo 25 gols marcados e somente três sofridos.

Agora, o Verdão busca encerrar a maldição do ‘clube dos 100%’ e conquistar o terceiro título seguido da Libertadores e seu tetracampeonato na história.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos