País de Gales vence, acaba com o sonho da Ucrânia e vai à Copa

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O sonho ucraniano acabou em Cardiff. A seleção do país invadido, em guerra com a Rússia e que contava com a simpatia de grande parte das outras torcidas neutras, não vai para a Copa do Mundo.

Neste domingo (5), País de Gales venceu a Ucrânia por 1 a 0 e garantiu na repescagem europeia para o Mundial do Qatar, a ser disputado entre novembro e dezembro deste ano.

O gol decisivo, por ironia, foi marcado pelo capitão ucraniano Yarmolenko. Ele desviou de cabeça contra a própria meta uma cobrança de falta de Gareth Bale aos 34 minutos do primeiro tempo.

O segundo tempo foi dramático pelo desespero da Ucrânia para chegar ao empate. A seleção criou pelo menos três grandes chances para marcar, mas correu riscos. Bale e Daniel James também poderiam ter ampliado para o time que atuou em casa.

A sete minutos do fim, o goleiro Hennessey fez a maior defesa da partida em cabeçada de Yaremchuk. Assim que soou o apito final, os jogadores da Ucrânia se atiraram no gramado.

Será a segunda participação galesa na competição. Na única vez em que se classificou, em 1958, chegou às quartas de final, foi eliminada pelo Brasil, por 1 a 0. Neste jogo, Pelé anotou seu primeiro gol na história do Mundial.

Com o resultado, Gales estará no grupo B, ao lado de Inglaterra, Estados Unidos e Irã. Sua estreia será contra os americanos, em 21 de novembro, no estádio Al Rayyan.

A vaga na Copa representa o desfecho com chave de ouro para a geração galesa, comandada pelo meia-atacante Gareth Bale, que já havia chegado às semifinais da Eurocopa de 2016.

Apesar da derrota, a Ucrânia saiu de campo aplaudida pela torcida galesa, uma simpatia que já havia encontrado em Glasgow, quando superou a Escócia por 3 a 1 na semifinal da repescagem.

Por causa da invasão, o futebol no país está paralisado. O último jogo disputado na liga nacional aconteceu em 12 de dezembro de 2021. O campeonato foi paralisado por causa do inverno e seria retomado em fevereiro, o que não aconteceu. Foi declarado o encerramento do torneio no final de abril, já que não existe perspectiva de retomada.

Da lista de 23 jogadores convocados, 15 atuam na Ucrânia. O meia Taras Stepanenko, do Shakhtar Donetsk, se mudou com a mulher e três filhos para um abrigo de guerra em Kiev. O goleiro Georgiy Buschan foi fotografado em uma estação de metrô, em busca de proteção contra bombardeios.

Serhiy Sydorchuk, capitão do Dínamo de Kiev, dormiu em seu carro com os filhos e a mulher grávida em um estacionamento.

Mesmo jogadores que atuam no exterior tiveram de continuar em atividade e aguardar notícias de familiares que continuam na Ucrânia. É o caso dos laterais Oleksandr Zinchenko, do Manchester City, e Vitaliy Mykolenko, do Everton; e o atacante Andriy Yarmolenko, do West Ham (todos os times da Inglaterra).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos