OPINIÃO: Palmeiras oscila em momento importante, mas não há motivo para 'terra arrasada'

Palmeiras oscila, mas não há motivos para 'terra arrasada' (Foto: Fabio Menotti/Palmeiras)


O pequeno jejum de vitórias do Palmeiras está começando a incomodar parte da torcida, que se acostumou com um time de certa forma imbatível. Acontece que a equipe segue liderando estatísticas significativas em competições importantes, fazendo com que não haja motivo para um derrame de toalhas.

GALERIA

> Saiba quais são os 40 jogadores mais fortes do FIFA 23
> Quais os 20 jogadores mais valiosos das semis da Libertadores?

Nos últimos oito jogos disputados pelo Verdão, foram apenas duas vitórias, sobre Goiás e Corinthians, ambas pelo Brasileiro. Já a maioria dos resultados foram de igualdade, totalizando cinco empates, diante de Atlético-MG (duas vezes), pela Libertadores, Flamengo, Fluminense e RB Bragantino, no nacional, além de uma derrota para o Athletico-PR, na ida da semi do torneio continental.

Em um ambiente completamente passional, é até natural que a pequena sequência sem triunfos faça com que algumas dúvidas relacionadas ao desempenho do time surjam. E essa derrota contra o clube paranaense foi o estopim para isso ser ainda mais notório.

A grande questão é que as estratégias do treinador Abel Ferreira são muito claras. Em campeonatos difíceis, é sim preciso tentar evitar um maior desgaste de elenco, blindar jogadores, e alterar peças e modos de jogo conforme as partidas jogadas. O próprio português, inclusive, sempre faz questão de frisar que o Verdão ‘não ganhará todas’.

Apesar de não vencer todas, como diz o comandante, o Palmeiras segue se destacando no futebol brasileiro e continental pelos números que apresenta, dentro de todas essas estratégias e planos. Ou seja, já existem motivos mais do que plausíveis para que o clube alviverde não seja subestimado ou desacreditado.

TABELA

> Que tal simular todos os resultados da Libertadores? Clique aqui!

Até o momento, somente quatro equipes tiveram a façanha de derrotar o Verdão em 2022: Chelsea, São Paulo (duas vezes), Ceará e Athletico-PR (duas vezes), sendo que o jogo diante do clube inglês, válido pelo Mundial de Clubes, é contabilizado na temporada 2021.

Como é possível notar acima, somente quatro técnicos foram capazes de superar Abel Ferreira neste ano: Thomas Tuchel (Chelsea), Dorval Júnior (Ceará), Rogério Ceni (São Paulo) e Felipão (Athletico-PR). Os outros ficaram apenas no empate ou saíram de campo derrotados.

Somente seis derrotas foram contabilizadas por Abel e companhia em 2022. O time é líder do Brasileirão com 51 pontos e, pode reverter a desvantagem de 1 a 0 para o Athletico na semifinal da Libertadores com facilidade, se jogar o que o levou ao patamar mais alto do futebol. Até porque, esse conjunto de jogadores já avançou ou conquistou títulos em oportunidades ainda mais complicadas.

O Palmeiras é um time que tem metas e objetivos muito bem traçados na temporada e o trabalho vem sendo feito para isso. Vivo em busca de dois títulos importantes, já é tempo de entenderem que ‘90 minutos para os comandados de Abel são muito longos’.

O fator psicológico entra em campo quando se trata de uma equipe vitoriosa, que assume o protagonismo e toma para si os principais títulos e tradições. E o do Verdão é muito forte, é frio. Não há motivos para ‘terra arrasada’. Todos os jogadores que entram em campo sabem bem o que vem pela frente, e esse horizonte pode presenteá-los com mais taças empilhadas, como aconteceu nas últimas temporadas.

É preciso ter calma antes de tirar conclusões e basear as críticas em resultados que, em contextos de dificuldades, são até bons. É preciso acreditar em um time que nunca entrará desacreditado, não enquanto houver um grupo de atletas e de comissão técnica que não sabem o que é a decepção – e tardarão em saber. É preciso ter ‘cabeça fria, e o coração quente’.