Opinião: em absoluto desgaste, melhor solução para Edenílson é deixar o Internacional

Edenílson está na mira de Odair Hellmann no Santos (Foto: Ricardo Duarte/Internacional)


Depois do empate sem gols na última quarta-feira (28) entre Internacional e Bragantino, no Beira-Rio, o reflexo da frustração misturada com irritação por parte da torcida do Colorado se viu nas vaias e ofensas proferidas, especialmente, contra o meio-campista Edenilson.

>Jornal destaca a tensão existente entre Mbappé e Neymar no PSG

Um dos jogadores mais longevos e experientes do elenco comandado por Mano Menezes, Edi chegou ao clube em 2018 para ser um dos símbolos de reabilitação do clube que, na temporada anterior, precisou superar seu maior percalço com a queda para a segunda divisão nacional.

De lá pra cá, tanto no aspecto técnico como também tático e de liderança dentro do plantel, Edenilson sempre esteve nos holofotes, tanto para o bem como para o mal.

Dentro desse período, vimos apresentações destacadas, ao ponto de colocá-lo como opção válida até mesmo para a Seleção Brasileira até a perda da titularidade e ser constante alvo de críticas que, naturalmente, traduzem também a tristeza do torcedor que persegue a conquista de um título para acabar com o incômodo jejum que dura desde o Gauchão de 2016.

Além dos elementos técnicos, as constantes especulações de mercado ligadas ao nome de Edenilson em relação ao futebol do Oriente Médio e até mesmo ao Atlético-MG acabaram, também, ajudando para que o relacionamento entre atleta e torcida se tornasse cada vez mais espinhoso.

Apesar da larga experiência, é notório como um momento de tamanha complexidade pode afetar no desempenho dentro das quatro linhas para qualquer atleta. E, diante de tantos elementos pesando de maneira contrária, soa como mais plausível (e até mesmo prudente) que o atleta de 34 anos de idade encerre sua trajetória no clube ao fim da atual temporada.