Olympique de Marselha define ex-zagueiro croata como técnico substituto de Sampaoli

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Após o pedido de demissão do treinador argentino Jorge Sampaoli durante a semana, o Olympique de Marselha agiu rápido e acertou com seu novo técnico para 2022-23: será o croata Igor Tudor, que treinou o Hellas Verona na última temporada, segundo informações apuradas pelos jornais La Provence e L'Équipe.

O presidente do clube marselhês, Pablo Longoria, tinha o treinador croata como prioridade para o cargo, e obteve um acerto neste sábado. De acordo com informações, as duas partes chegaram a um contrato de dois anos e o técnico é esperado no CT do clube na segunda-feira. Ele deve então conhecer seu grupo e pode ser apresentado à imprensa francesa como o comandante do clube, substituindo Sampaoli.

O ex-zagueiro, de 44 anos, teve passagens por Hajduk Split-CRO, PAOK-GRE, Karabükspor-TUR, Galatasaray-TUR, Udinese-ITA, além de ter sido um dos auxiliares técnicos de Andrea Pirlo na Juventus-ITA, em que era uma espécie de "treinador de defesa". Segundo informações do L'Équipe, ele será o nono treinador do Olympique em dez anos, descontando os interinos.

Seu último trabalho foi no Hellas Verona-ITA, na última temporada, em que se notabilizou depois de conquistar o 9º lugar na Serie A com um estilo de jogo atraente e com boa força defensiva. Seu perfil foi preferido pelo presidente do clube e venceu a corrida com Marcelino García Toral, atualmente sem clube, e com quem o presidente havia trabalhado no Valencia-ESP, ou Roberto de Zerbi, treinador do Shakhtar Donetsk-UCR.

Na carreira como jogador, Tudor ficou notabilizado por longa passagem pelo Hajduk Split-CRO, entre 1996 e 1998, e mais tarde, encerrando a carreira em 2008, mas foi na Juventus-ITA, que jogou entre 1998 e 2005, e depois, entre 2006 e 2007, que foi marcante. O jogador ainda teve passagens por empréstimo por Trogic-CRO e Siena-ITA ao longo da carreira. Pela seleção croata, disputou as Copas do Mundo de 1998 e 2006, além da Eurocopa de 2004.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos