Zagueiro do Voltaço, Gabriel Pereira quer escrever história como fez Igor Gomes, atualmente no Barcelona

LANCE!
·3 minuto de leitura


Todo jogador espera brilhar no seu clube de formação. Construir uma história, ganhar títulos e consolidar sua carreira no Brasil e depois voar na Europa. Gabriel Pereira, 20 anos, atuou em 2019 no time do Voltaço que fez história na Copa São Paulo. O Tricolor de Aço chegou às quartas de final do torneio, sendo eliminado pelo Vasco nos pênaltis. Antes, a equipe passou pelo Atlético-MG.

Gabriel Pereira jogou ao lado do também jovem zagueiro Igor Gomes, atualmente no Barcelona. Mas ele passou por algumas difíceis etapas até chegar onde está:

- Em 2017, eu estava participando de campeonatos amadores no time da minha cidade, em Araruama, Região dos Lagos do Rio de Janeiro. Me destaquei e fui chamado no fim do ano para realizar uma avaliação no Sampaio Corrêa de Saquarema. Chegando lá, resolvi jogar de zagueiro e fui bem. Fui para o time principal e treinei para disputa da série B1, em 2018. Fomos jogar contra o Volta Redonda em um jogo-treino em Pinheiral e o Neto Colucci, treinador do sub-20 do Volta Redonda, me viu e pediu a minha contratação. Através de uma parceria entre os clubes, fui para o Voltaço e assinei meu primeiro contrato profissional. Lá atuei na Copinha e fomos bem. Depois joguei alternadamente no sub-20 e no profissional do clube e disputei a série C no time de cima, ainda com o Luizinho Vieira de treinador. Depois o Neto assumiu e fiquei como titular e estou até hoje. Sou muito grato por tudo e espero continuar jogando e ajudando o Voltaço nesta temporada que promete ser excelente para todos nós. – resumiu.

Ele espera voos mais altos do clube e dele, em particular. Um passo de cada vez. Primeiro o coletivo. Faz questão de ressaltar. A fase é boa e o Voltaço é o melhor time do Estadual em aproveitamento no momento. Depois de passar de fase na Copa do Brasil no meio de semana, eliminando o Castanhal-PA, fora de casa, ele está esperançoso com mais uma boa atuação da equipe:

- O jogo foi muito difícil. O time do Castanhal é bem montado. Passamos por momentos complicados na partida, mas sabíamos que teríamos que lidar com isso, estávamos preparados quando entramos em campo. Fomos cientes que classificaríamos com uma vitória, mesmo sabendo que um empate nos daria a vaga. Conseguimos jogar e marcar os gols e assim atingir nossos objetivos. Graças a Deus. – contou.

O Volta Redonda é o time atualmente que chama a atenção, fora os quatro grandes do Rio de Janeiro. Ele quer aproveitar o embalo e sabe que a equipe terá muitas dificuldades diante do Macaé neste sábado (20), às 15h, em casa, mas sabe que é possível manter o ritmo, tendo muito respeito ao adversário, só que o objetivo é conquistar os três pontos:

- O jogo contra o Macaé será um jogo muito difícil, eles vêm de um empate diante do Boavista, fora de casa, que é uma excelente equipe e conseguiram o gol no final. Precisaremos estar atentos a isso, pois necessitamos de um bom resultado para manter a liderança da competição e isso só depende de nós. Ficar na liderança pelo maior número possível de rodadas nessa posição nos dará a chance de disputar coisas maiores na competição – finalizou.