Zagueiro tcheco Ondrej Kudela é suspenso por dez jogos por "comportamento racista"

·2 minuto de leitura
Ondrej Kudela do Slavia Praga (à dir.) foi suspenso por comportamento racista contra o jogador do Rangers, Glen Kamara (centro)

O zagueiro tcheco do Slavia Praga, Ondrej Kudela, acusado de insulto racista por um jogador do Glasgow Rangers, foi suspenso por dez jogos por "comportamento racista", anunciou a Uefa nesta quarta-feira. A sanção o deixará fora do jogo de volta das quartas de final da Liga Europa desta quinta-feira, contra o Arsenal.

Kudela foi alvo de uma investigação da Uefa depois de ser acusado de ter proferido palavras racistas contra o meia do Glasgow Rangers, Glen Kamara, um finlandês de ascendência da Serra Leoa, que por sua vez foi suspenso por três jogos por atacar Kudela com socos no túnel que leva aos vestiários após o apito final do jogo de volta das oitavas-de-final da Liga Europa, no dia 18 de março.

O zagueiro tcheco, de 34 anos, já havia cumprido um jogo de suspensão na ida contra o Arsenal (1-1). Com isso, restam nove jogos de sanção a serem cumpridos em competições europeias e de seleções, disse a entidade de controle, ética e disciplina da Uefa, cuja decisão pode ser sujeita a um recurso.

A confusão na partida começou a poucos minutos do final, quando Kamara acusou Kudela de ter proferido um insulto racista em seu ouvido.

O Slavia Praga negou essas palavras discriminatórias, alegando que Kamara havia atacado Kudela com socos após a partida.

O presidente do conselho de administração do clube tcheco, Jaroslav Tvrdik, declarou, no entanto, em um comunicado que "respeita a decisão" da Uefa.

Kudela reagiu à sanção nesta quarta-feira.

"Estou surpreso que a comissão disciplinar da Uefa tenha chegado a uma conclusão diferente daquela de seu inspetor. Ele disse que não havia provas convincentes para apoiar as acusações de racismo contra mim, que continuo a rejeitar", disse ele.

"Estou ciente de que foi um erro ir a Glen Kamara e dizer algo a ele. Havia emoções no jogo e, infelizmente, não se pode voltar atrás. Lamento muito", disse ele.

Seus advogados indicaram que irão aguardar a explicação da sanção e que irão considerar um recurso.

Esta sanção ocorre depois que vários casos de insultos racistas proferidos em campo abalaram o futebol europeu nos últimos meses.

bur-jed/dep/psr/aam