Zagueiro croata Lovren se prepara para mais um confronto contra Neymar

Zagueiro da seleção da Croácia Dejan Lovren se aquece antes de partida contra o Japão pelas oitavas de final da Copa do Mundo do Catar

Por Fernando Kallas

DOHA (Reuters) - Enquanto a Croácia se prepara para enfrentar o Brasil nas quartas de final da Copa do Mundo do Catar na sexta-feira, o zagueiro croata Dejan Lovren aguarda por outro confronto com um antigo oponente, o atacante Neymar.

Lovren, de 33 anos, já enfrentou Neymar três vezes e perdeu em todas, com o brasileiro marcando quatro gols nesses jogos.

Os encontros incluem o jogo de abertura da Copa do Mundo de 2014, quando o Brasil venceu a Croácia por 3 x 1 com dois gols de Neymar, e um amistoso em Anfield em 2018, uma semana antes do início da Copa do Mundo na Rússia, quando o atacante marcou uma vez no triunfo por 2 x 0 da seleção brasileira.

Croácia e Brasil já se enfrentaram cinco vezes, com três vitórias brasileiras e dois empates.

Talvez a lembrança mais dolorosa para Lovren, no entanto, seja a derrota do Liverpool por 2 x 1 para o Paris Saint-Germain na fase de grupos da Liga dos Campeões em 2018.

Neymar marcou o gol da vitória e deu uma aula naquela noite em Paris, com Lovren lutando para contê-lo.

Embora o Liverpool tenha se sagrado campeão naquela temporada, Lovren praticamente desapareceu da equipe de Juergen Klopp pelo resto da competição, sendo titular apenas em mais uma oportunidade.

Na sexta-feira, a Croácia terá um problema maior do que apenas Neymar, com Vinícius Jr, Lucas Paquetá e Richarlison se destacando pelo Brasil nesta Copa do Mundo.

Lovren, que geralmente começa como lateral-direito, terá o apoio do prodígio do RB Leipzig, Josko Gvardiol.

Gvardiol, de 20 anos, tem sido brilhante até agora para a Croácia, desarmando uma série de chances claras de gols para manter sua equipe viva nos jogos.

A Croácia sofreu apenas dois gols em seus quatro jogos até agora no Catar. Mas seu desafio mais difícil até agora será tentar parar o ataque brasileiro na sexta-feira.

(Reportagem de Fernando Kallas)