Zagueiro brasileiro revela motivo do crescimento do futebol na Malásia


Desde 2019 no Kedah, o zagueiro brasileiro Renan Alves, de 27 anos, percebeu um aumento de estrangeiros disputando a Liga Malásia. Segundo o atleta, o principal motivo para essa evolução é a proximidade com mercados de destaque na Ásia, como a China, e também as condições financeiras oferecidas pelos clubes.

Atualmente, são 11 jogadores do Brasil no total atuando na elite da Malásia. Entre as atrações está o atacante Diogo, que tem passagens por Flamengo, Palmeiras e Santos, e hoje defende das cores do Johor Darul Ta’zim (JDT).

- O que atrai o brasileiro a ir para Ásia é o fato de alguns países pagarem bem e por ficar próximo de países, como China, Japão, Tailândia e Coréia do Sul, que são os países acima da média e que pagam bem. Os brasileiros então vão com esse intuito. Não sabia que a Malásia estava crescendo tanto. Vem tendo muita visibilidade por ter muitos estrangeiros para o país, como é o caso do Diogo (ex-Santos, Flamengo e Palmeiras). Está enchendo os olhos dos estrangeiros e os estádios são sempre cheios e estou muito feliz de jogar nesse país - disse Renan Alves, que no Brasil jogou no Mogi das Cruzes.

Renan Alves atua desde o ano passado na Liga Malásia, que só deve recomeçar em setembro. Foram quatro jogos e dois gols marcados por ele até a pausa em virtude da pandemia global do novo coronavírus. O zagueiro destacou a evolução da competição.

- A Liga Malásia está crescendo a cada ano. Tem o Johor, que é o time sensação do momento. Já está há alguns anos sendo campeão e tem uma estrutura muito grande. É um investimento alto e com jogadores bastante conhecidos. Cada ano o campeonato está ficando mais difícil e os times se reforçando bem. Antes da parada estava todo mundo igual. Creio que esse ano vai ser, tendo a continuidade do campeonato, será bem disputado.

O jogador, que nasceu no Rio de Janeiro, destacou o momento vivido no país e o sonho de vestir a camisa de algum clube da primeira divisão do Brasil. Renan Alves antes de desembarcar na Malásia já atuou, por exemplo, na temporada 2015/16 no Gil Vicente, de Portugal.

- Vem sendo uma experiência muito. Estou no meu segundo ano. Joguei alguns anos na Europa e até então não tinha esse reconhecimento da torcida. Tenho um reconhecimento muito bom e todos me tratam super bem. Está sendo uma experiência maravilhosa. Pretendo ficar por mais tempo. Graças a Deus no ano passado individualmente foi incrível. Terminamos em 4º na Liga Malásia e chegamos em duas finais de competições locais do país, onde fomos campeões de uma. Foi um ano brilhante, onde fui eleito o melhor jogador na minha posição. Consegui o respeito de todos e é muito bacana o carinho de todos. Em 2020, a responsabilidade aumentou por ter permanecido - concluiu.












Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também