Zagallo publica homenagem e relembra momentos ao lado de Pelé na Seleção: 'Meu maior parceiro se foi'

Zagallo e Pelé foram parceiros na Seleção Brasileira e conquistaram diversos títulos (Reprodução/Instagram)


Após a confirmação da morte de Pelé, aos 82 anos, diversas homenagens foram feitas no Brasil e no mundo ao Rei do futebol. E uma delas não poderia faltar. Um dos maiores parceiros do eterno craque nos gramados, Mário Jorge Lobo Zagallo fez questão de deixar uma mensagem ao Atleta do Século XX, com quem foi bicampeão do mundo pelo Brasil, em 1958 e 1962, e comandou no tri, em 1970.

+ Fotógrafa que tirou foto de Messi e Cristiano Ronaldo foi a mesma de registro dos pés de Pelé

- Meu maior parceiro se foi e é com esse sorriso que guardarei você comigo. Amigo de tantas histórias, vitórias e títulos e que deixa um legado eterno e inesquecível. A pessoa que parou o mundo diversas vezes. A pessoa que fez da camisa 10 a mais respeitada - citou o Velho Lobo na publicação, antes de completar:

- Um brasileiro que defendeu nosso País em todo o mundo. Hoje o mundo, chorando, para e se despede do maior de todos. Do Rei do Futebol. Obrigado por tudo, Pelé. Você é eterno. Eu te amo - acrescentou.

Apesar de serem adversários com as camisas de Santos e Botafogo nas décadas de 50 e 60, Pelé e Zagallo marcaram história com a camisa do Brasil. Ambos estiveram juntos e ergueram as taças dos Mundiais de 1958, na Suécia, e 1962, no Chile. Oito anos depois, o Velho Lobo assumiu o comando técnico da Seleção Brasileira e novamente foi campeão. Desta vez no México, com Pelé em campo regendo aquela que é considerada a maior seleção de todos os tempos.

+ Gols, títulos, prêmios e estatísticas: veja números da brilhante carreira do Rei Pelé

Com a morte de Pelé, atualmente restam cinco atletas vivos da conquista que ficou eternizada no coração do torcedor brasileiro, na Suécia, em 1958: Zagallo, Pepe, Dino Sani, Mazzola e Moacir. Sendo assim, Mazzola reside na Itália, enquanto Moacir mora no Equador.

Naquela época, Pelé era o caçula daquele elenco que partiu em direção à Suécia para coroar uma geração. O craque tinha apenas 17 anos quando o Brasil venceu os donos da casa por 5 a 2 na decisão.

Na decisão, Pelé marcou dois gols, enquanto Vavá também estufou a rede em duas oportunidades, e Zagallo também deixou o dele. Liedholm e Simonsson descontaram para a Suécia, que sediou o torneio.

Os cinco brasileiros vivos campeões do mundo em 1958 com a Seleção:

Zagallo - atacante - 91 anos
Moacir - meia - 86 anos
Mazzola - atacante
Dino Sani - meia - 90 anos
Pepe - atacante - 87 anos

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.