Zé Roberto se esforça por boa forma, mas cai de rendimento e vai ao banco

DANILO LAVIERI E JOSÉ EDGAR DE MATOS

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Zé Roberto faz treinos extras, mostra o corpo em forma sempre que pode e busca manter o preparo físico até nas férias, mas o esforço já não está mais garantindo a titularidade ao veterano. Depois da derrota contra a Ponte Preta por 3 a 0, o lateral esquerdo foi sacado dos 11 escolhidos por Eduardo Baptista, sofrendo que está com a sequência de jogos.

Aos 42 anos, o jogador vinha de cinco partidas consecutivas e começava a ter a eficiência questionada. O escorregão que culminou no terceiro gol da equipe de Campinas foi apenas o gesto simbólico para a troca. Substituído por Egídio, ele vive, pela primeira vez na temporada, uma falta de perspectiva de voltar aos titulares.

O fato de Edu Dracena começar jogando pelo mesmo lado também colabora para que Zé Roberto fique mais no banco. Quando os dois estão em campo, a comissão considera que, por vezes, a ala esquerda perde muito na velocidade na hora de defender.

Para aumentar a concorrência, Michel Bastos atuou na lateral durante o segundo tempo, quando o Palmeiras virou para cima do Peñarol no Uruguai. Ele foi muito bem avaliado e passará a ser mais considerado para a posição.

TREINOS

Para jogar em alto nível, Zé cumpre uma sequência especial de treinamento, que inclui corridas na esteira até mesmo nas folgas e nas férias. No fim de 2016, foi possível acompanhar a saga do lateral esquerdo nas redes sociais, correndo até em temperaturas abaixo de zero na sua visita à Alemanha.

No dia a dia, o experiente jogador também gosta sempre de ficar alguns minutos a mais no gramado para sequências de abdominais. Vaidoso, ele se orgulha de ostentar quadradinhos na barriga mesmo passando dos 40 anos e é exemplo de físico a ser seguido. Na sua apresentação, inclusive, posou para fotos sem camisa.

Não é só Zé Roberto que tem cuidados especiais. Felipe Melo, aos 33 anos, sempre faz tratamento diferente em relação aos colegas, até mesmo nos seus dias de folga. Fernando Prass treina e joga com uma cotoveleira especial para proteger o cotovelo que já foi operado, além de Edu Dracena, que também tem treino de musculação diferenciado.

Apesar da queda dentro de campo, Zé segue dentro do grupo como um dos principais líderes, ao lado de Fernando Prass e Felipe Melo. Ele recebe elogios especialmente dos atletas que sobem da base, como foi no caso de Gabriel Jesus.