Zé Rafael explica mudança de posição e confia em Luxa: 'Entende o que faz'

William Correia
LANCE!
Sempre parte do setor ofensivo, Zé Rafael conta o que muda em campo como volante (Agência Palmeiras/Divulgação)
Sempre parte do setor ofensivo, Zé Rafael conta o que muda em campo como volante (Agência Palmeiras/Divulgação)


A temporada começou diferente para Zé Rafael. Não somente por ter mais oportunidades no Palmeiras, mesmo ainda sem figurar entre os titulares absolutos, mas por iniciar 2020 em uma nova posição. O meia-atacante virou volante e cita o histórico do técnico Vanderlei Luxemburgo para acreditar na adaptação, explicando o que muda em suas funções dentro de campo.

- O jogo flui com características diferentes. Mais recuado, saio com a bola de frente, dominada. De ponta, domino a bola, na maioria das vezes, de costas ou de lado. Já a marcação é quase igual à do ponta. Muda a região do campo. Na beirada, também precisa acompanhar, mas mais individual, apenas o lateral. Centralizado, como segundo volante, é cuidar e proteger uma região mais perigosa do campo. O professor vem ajustando principalmente essa marcação.


Os ajustes vêm ocorrendo. Zé Rafael atuou em todas as partidas da temporada, incluindo as duas na Florida Cup, e foi titular pela primeira vez na quarta-feira, na vitória por 4 a 0 sobre o Oeste. Os números o apontam como um dos destaques entre quem mais desarma no Verdão, e ele já agradece o chefe.

- O Luxemburgo tem essa característica de ajustar a posição de atletas ao longo da carreira. Por tudo que ganhou e vivenciou, entende do que está fazendo. Ele sugeriu e me perguntou se eu poderia fazer a função. Sem problema nenhum para mim. É uma novidade, mas, com semanas de treino, fazendo movimentos, dá para adaptar. Na Flórida, começou com uma nova função e fui aprimorando. Já está um pouco melhor do que no início - avaliou Zé Rafael.

- O Luxemburgo foi feliz em estar me ajudando, e dá para evoluir muito. A adaptação tem sido boa. O professor tem dado confiança para me aprimorar na função, e estou me sentido bem. Ele tem me ensinado, mostrado caminhos, e tenho evoluído de maneira bem positiva.



Em sua entrevista coletiva nesta sexta-feira, o camisa 8 destacou como Luxemburgo se preocupa em manter o dia a dia descontraído, embora reforce as cobranças em treinamentos e jogos. Esse perfil, somado ao currículo e histórico de adaptar atletas a novas funções, fez com que Zé Rafael acreditasse ser capaz de estar em uma posição na qual nunca tinha se cogitado.

- Eu mesmo não me imaginava de segundo volante. É um lugar do campo um pouco mais recuado do que estou habituado a jogar, do meio para frente, em qualquer um dos lados. No final do ano, fiz até a função de falso 9. São características e funções diferentes. É vivenciar o que está acontecendo - disse, afirmando que, mesmo recuado, segue livre para jogadas individuais.

- O Luxemburgo nos permite fazer tudo que pudermos em campo. Dá liberdade para fazer o que acha certo, dá muita confiança para fazermos o nosso melhor. Deixa bem claro que pode driblar, tentar uma caneta, chapéu, finalização diferente, mas com responsabilidade. Não farei isso na nossa área, onde tem risco. Mas ele dá liberdade para usar criatividade - ressaltou.




Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também