Xerém busca espaço no Fluminense profissional mas Roger Machado encara a transição com cautela

·4 minuto de leitura


A temporada de 2021 começou com mudanças para o Fluminense. Com a contratação de Roger Machado, o plantel passou por um período de testes no Carioca, envolvendo principalmente atletas da base. Como forma de poupar titulares e conhecer as opções, o técnico relacionou jovens que ainda não haviam estreado no profissional, e outros que já tinham experiência no elenco principal. Disputando Brasileirão, Copa do Brasil e Libertadores, os jovens tem sido menos utilizados em relação ao Estadual. 

Embora Xerém seja considerada uma potência do clube, Roger Machado vê com cautela a inserção dos novatos nas competições nacionais e internacional. Mesmo com o potencial, a esperada oscilação é um fator considerado por Laranjeiras, como no caso de Luiz Henrique, que não foi relacionado para a última partida.

Fora os Moleques de Xerém que já conquistaram espaço no profissional, a comissão técnica ainda tem alternativas para preencher as lacunas do grupo. Em uma sequência de empates e derrotas no Brasileiro, além do desfalque de peças importantes, o último confronto foi marcado pelo retorno de Matheus Martins e João Neto, destaques da base.

- Nas ausências, as opções foram pelo Matheus Martins, que entrou muito bem, assim como o João. Dois jovens que precisamos lançar, por vezes passando na frente de outros jogadores para ter como opção. Alguns dos nossos jogadores mais jovens não atravessam o melhor momento tecnicamente e precisamos recuperar, como foi o caso do Luiz (Henrique), fora da relação para recuperar a confiança. O John Kennedy está voltando após a Covid, se recuperando - afirmou Roger Machado.

Os dois atacantes são considerados joias do clube e fazem parte da “Geração dos Sonhos”, campeã do Brasileiro Sub-17 em 2020. Apesar do destaque e da expectativa, os atletas tiveram poucos minutos em campo. Oscilando entre sub-23 e profissional, Matheus Martins participou de 4 jogos no profissional, e João Neto de apenas 3.

> Confira e simule a tabela da Série A do Brasileirão 2021

Na última rodada, marcada pela goleada do Athletico-PR sobre o Fluminense, ambos entraram no final do segundo tempo. Mesmo com o resultado ruim, a atuação individual mostrou o potencial dos jovens: Matheus acertou 100% dos passes no próprio meio campo e 75% no campo adversário; João teve 100% de acerto em passes no próprio campo e também no adversário, além de levar a melhor em 50% dos duelos no chão. Os dados são do SofaScore Brazil.


+ VEJA TAMBÉM: Matheus Martins marca, Fluminense bate o Corinthians e vence a primeira no Brasileirão de Aspirantes

No meio-campo, Moleques de Xerém também podem ser encaixados. Nascimento, de 21 anos, já vinha sendo relacionado desde a temporada passada e entrou em campo 3 vezes. Wallace também foi testado no jogo contra o Resende, quando jogou por 10 minutos. Entre os meias, talvez o nome mais promissor seja o de Arthur. Considerado uma das melhores revelações da década, jogou 14 minutos no Carioca e assinou o primeiro contrato profissional com o Fluminense, vigente até 2024.

Enfrentando problemas nas laterais, Roger Machado afirmou que precisa encontrar reforços. Pelo lado esquerdo, Jefté é um nome que aparece como possível solução. Um dos destaques da campanha do Brasileirão da “Geração dos Sonhos”, o jogador ainda não estreou na equipe principal e integra o sub-23, ao lado de Matheus Martins e João Neto, e renovou o vínculo com o Tricolor por mais 4 anos.

- Neste momento não definimos as posições. Definitivamente precisamos buscar, mas não temos definição. A lateral-esquerda não é pauta, até porque temos o Jefté também, que é da casa, está surgindo e temos carinho. Não queremos trancar a ascensão de mais um jogador do clube - disse o técnico.

Na lateral direita, há Daniel Lima, que participou de 3 jogos no Carioca, sendo um deles o clássico contra o Flamengo. Ele também se destacou na partida contra o Goiás no Brasileirão 2020, com 100% de aproveitamento na partida.

+ ATUAÇÕES: Fluminense sofre goleada por 4 a 1; Marcos Felipe e Roger Machado levam as piores notas

Em relação à zaga, Luan Freitas participou do primeiro jogo no Carioca e correspondeu às expectativas durante os 90 minutos. Após fratura no pé esquerdo, o zagueiro está retornando aos poucos à equipe sub-23, mas apresenta bom desempenho. Higor, também atuante na temporada passada em jogos do Estadual e no Brasileirão, foi escalado contra a Portuguesa e não foi substituído.

No passado recente, o Fluminense integrou ao profissional jogadores que hoje são peças-chave para o funcionamento da equipe. Marcos Felipe, Calegari, Martinelli, Gabriel Teixeira, Luiz Henrique, Kayky e Caio Paulista são revelações de Xerém importantes no esquema tático de Roger Machado.

Diante dos desafios apresentados pelo calendário apertado, desgaste físico de jogadores e baixo orçamento, o que não faltam são opções da casa. Em uma das melhores levas de atletas de base história do clube, o Fluminense tem a oportunidade de encontrar entre os Moleques de Xerém boas reposições, ou até mesmo novos titulares, para driblar as dificuldades.

* Estagiária sob a supervisão de Luiza Sá

VEJA A LISTA DOS JOGADORES DE XERÉM UTILIZADOS NESTA TEMPORADA

Goleiros: Pedro Rangel e Marcos Felipe
Laterais: Igor Julião, Calegari e Daniel Lima
Zagueiros: Luan Freitas, Frazan e Higor
Meio-campistas: André, Caio Vinícius, Nascimento, Wallace, Metinho, Martinelli, Arthur e Miguel
Atacantes: Gabriel Teixeira, John Kennedy, Samuel, Kayky, Matheus Martins, Caio Paulista, Luiz Henrique e João Neto

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos