Xavi Hernández diz estar "em estado de choque" após prisão de Dani Alves

O técnico do Barcelona, Xavi Hernández, afirmou neste sábado estar "em estado de choque" após a prisão preventiva do seu ex-companheiro de time Daniel Alves, acusado de agressão sexual.

O jogador brasileiro de 39 anos teve seu contrato rescindido com o clube mexicano Pumas após sua detenção e um juiz decidiu que ele deveria ser levado para a prisão, sem direito a pagamento de fiança, em Barcelona.

Alves, que jogou oito temporadas no Barcelona, entre 2008 e 2016, voltou ao clube catalão por um curto período na última temporada, sob o comando de Xavi.

"É difícil comentar uma situação como esta", disse o técnico em entrevista coletiva um dia antes do jogo de sua equipe contra o Getafe na LaLiga.

"Como todo o mundo estou surpreendido e abalado, conhecendo Dani, estou até em estado de choque. Esta é a primeira coisa que me vem à cabeça", acrescentou Xavi.

"É um assunto de justiça e a justiça vai decidir. Não podemos entrar", explicou.

"Me sinto muito mal pelo Dani, além de surpreso e impactado por saber como ele é e como foi quando esteve aqui conosco. Surpreso e chocado", concluiu.

A polícia catalã informou que recebeu uma denúncia no dia 2 de janeiro de uma mulher que acusou Alves de agressão sexual.

Embora a polícia tenha se recusado a fornecer detalhes sobre o caso, uma fonte próxima à investigação disse à AFP que Alves é acusado de agressão sexual.

A mulher reiterou sua acusação perante o juiz na sexta-feira, acrescentou a fonte.

A suposta agressão sexual ocorreu em uma conhecida boate em Barcelona, na madrugada de 30 para 31 de dezembro, segundo informações da imprensa espanhola.

Alves foi um jogador importante na era de ouro do Barcelona, conquistando três Ligas dos Campeões com o clube e seis títulos da liga espanhola.

O brasileiro também jogou no Sevilla, Paris Saint-Germain, Juventus e São Paulo, entre outras equipes.