WTA oficializa seu calendário até Wimbledon

·1 minuto de leitura
A australiana Ashleigh Barty é a atual número 1 do ranking da WTA

A WTA oficializou nesta terça-feira o calendário do tênis feminino até Wimbledon (28 de junho a 11 de julho), confirmando a disputa do WTA 1000 (de acordo com a nova denominação) em Dubai, Miami, Madri e Roma.

A temporada da WTA começa na quarta-feira em Abu Dhabi e até o momento eram conhecidos apenas os torneios das primeiras sete semanas de 2021, até o final do Aberto da Austrália em 21 de fevereiro.

"O programa atual se assemelha ao calendário habitual da WTA no que diz respeito à maioria dos eventos a partir de meados de março, apesar de algumas mudanças relacionadas à pandemia de covid-19", observou a WTA, destacando a ausência de Indian Wells, um evento tradicionalmente marcado para março.

"Existem datas alternativas sendo estudadas para o final da temporada", disse ele. "Outras atualizações no calendário da WTA serão anunciadas no momento apropriado", concluiu.

Após o Aberto da Austrália, as tenistas terão um WTA 500 em território australiano, em local a ser definido. Em seguida, elas deixarão a Oceania e na semana de 1º de março terão o WTA 500 em Doha e o WTA 250 em Lyon.

O primeiro WTA 1000 está marcado para o dia 8 de março em Dubai.

A semana de 12 de abril será dedicada à Billie Jean King Cup (ex Fed Cup), antes da temporada europeia de saibro, com os WTA 1000 de Madri (26 de abril) e Roma (10 de maio), que vão levar ao torneio de Roland Garros (23 de maio).

A ATP, que administra o circuito masculino, anunciou o calendário completo no início do mês, até o ATP Finals, que será realizado em novembro, em Turim (Itália), antes da fase final da Taça Davis.

ig/chc/dr/mcd/aam