A WSL 2020 vai de G-Land a campeonato com maconha

Yahoo Esportes
A (literalmente) maior novidade da WSL para 2020: as ondas de Grajagan (Foto: Evgeny Ivkov/ @surfglens)
A (literalmente) maior novidade da WSL para 2020: as ondas de Grajagan (Foto: Evgeny Ivkov/ @surfglens)

Por Emanoel Araújo 

O ano mal terminou, mas a World Surf League já anunciou – com grande expectativa – a próxima temporada. Em um vídeo capitaneado pelo apresentador das plataformas digitais da Liga, Chris Coté, o anúncio foi feito pela internet em seu programa diário. Com a participação de Pat O’Connell, vice-presidente do circuito, foram anunciadas as mudanças. E, apesar dos rumores de uma transformação drástica no calendário para o próximo biênio, tudo segue parecido, porém mais justo. 

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

SIGA O YAHOO ESPORTES NO INSTAGRAM

“Agora há uma igualdade no tour, pois nós estamos procurando [ondas a] esquerda, direita; em beach breaks [várias ondas na mesma praia] e point breaks” 

Pat O’Connell – vice-presidente de circuito (WSL)

Leia também:

A resolução agrada ao bicampeão mundial, Gabriel Medina, e aos goofyfooters que reclamavam sobre a predominância de ondas à direita. Dentre todas as 11 etapas, apenas em Teahupoo Medina e demais goofys não surfavam de costas para onda.  

:: PERNA AUSTRALIANA

A perna australiana volta a ser uma sequência de três etapas, sem patrocínio da Quiksilver (Foto: WSL/Kelly Cestari)
A perna australiana volta a ser uma sequência de três etapas, sem patrocínio da Quiksilver (Foto: WSL/Kelly Cestari)

Para o surfe de elite, o ano começa no dia 26 de março, quando a tradicional etapa na Gold Coast abre a temporada. A demora para o início do tour tem relação com a segunda etapa. Os constantes ataques a tubarões resultantes do período de desova do salmão em Margaret River, atrasou a etapa no extremo oeste do país e deixou a disputa mais segura (ou com menos tubarões). Neste ano, a perna australiana segue direto para sua reta final, na lendária praia de Bells. 

A terceira etapa do tour neste ano, Bali não estará em 2020. Alegando falta de recursos, o governo local repassou a etapa. Em seu lugar, a quarta parada da WSL será em outra ilha, dentre as 17 mil que a Indonésia possui em seu território. A mítica esquerda da ilha de Java, na face oriental da província. 

:: BEM VINDOS À G-LAND

Uma onda tubular à esquerda que se estende por 500 metros e considerada a mais comprida – e perfeita - onda do mundo. Entre os dias 4 e 14 de junho, o público poderá assistir esse espetáculo. 

Entre 1995 e 97, G-Land foi palco do circuito mundial e comprovou seu potencial. Dentre os atuais surfistas, apenas Kelly Slater competiu na baía de G-Land. E foi dele o título da primeira edição:

:: SURFE FEMININO 

No calendário das surfistas pouco muda e – com exceção de Teahupoo – o ano seguirá os mesmos locais com diferentes janelas de dias do surfe masculino. 

A última etapa também é no Havaí e, como de costume, as mulheres seguem paras as perfeitas direitas de Honolua Bay, na ilha de Maui.

:: CBD + ONDAS GRANDES 

Com dificuldades para vender um campeonato com janelas de espera que duram meses, dependentes dos maiores swells que praias como Nazaré e Jaws podem prover, a WSL encerrou de vez o Big Wave Tour. No entanto, surfistas que dropam ondas acima dos dez metros não ficarão desamparados. 

Graças a uma parceria com uma empresa americana responsável pela distribuição e venda de canabidiol medicinal, a cbdMD, o campeonato em Jaws, na ilha de Maui está confirmado. A janela de espera se estende pela temporada inverno havaiano – de 1º de novembro até 31 de março – período das maiores ondulações. 

O extrato da planta da maconha é um mercado aberto para o esporte (Foto: DIVULGAÇÃO/cbbdMD)
O extrato da planta da maconha é um mercado aberto para o esporte (Foto: DIVULGAÇÃO/cbbdMD)

A relação do extrato da maconha com o esporte pode ser polêmico, mas a WSL fazem uma empreitada cada vez mais comum nos EUA. A bicampeã mundial dos 100 metros com barreiras indoor, Lolo Jones e a tricampeã olímpica Kerri Walsh também tem como patrocinadores remédios feitos do extrato da maconha. 

Entre os surfistas, também já é comum encontrar patrocínios individuais, como relatamos aqui.

Outro evento marcado para o mesmo período e com uma categoria abaixo (expression session), não valerá ponto mas terá muito emoção. A parada do surfe incluirá as bombas de Nazaré, em Portugal, e será patrocinado pela loteria portuguesa,  a Jogos Santa Casa. Para o Nazaré Tow Surfing Challenge estão inscritos os seguintes brasileiros: Maya Gabeira, Lucas Chianca, Rodrigo Koxa e Pedro Scooby. 

Assim que Nazaré ou Jaws ligarem o alerta vermelho para ondas gigantes, o Yahoo Esportes relatará tudo o que acontece e as repercussões do campeonato, além da possível quebra de novos recordes. 

Siga o Yahoo Esportes

Twitter |Flipboard |Facebook |Spotify |iTunes |Playerhunter

Leia também