Wolff: Hamilton consolidou posição entre os maiores da história do esporte

Adam Cooper
·3 minuto de leitura

Após conquistar seu primeiro título da Fórmula 1 em 2008 com a McLaren, Lewis Hamilton faturou outros seis com a Mercedes nos últimos sete anos, sacramentando o hepta neste domingo na Turquia. E para Toto Wolff, o piloto "consolidou sua posição" entre os melhores da história do esporte.

Hamilton superou os problemas que a Mercedes enfrentou ao longo do final de semana e apostou em uma estratégia ousada de apenas uma parada para conquistar a vitória e o título, mantendo a invencibilidade desde que perdeu para Nico Rosberg em 2016.

Leia também:

Bottas explica "desastre" no GP e promete luta contra Hamilton pelo título em 2021: “Vou tentar batê-lo” F1: Sexto colocado, Verstappen diz que GP da Turquia foi "corrida para esquecer" F1: Stroll diz que granulação dos pneus foi "terrível"

Com isso, ele empata com Michael Schumacher como os maiores campeões da história do esporte, com sete para cada.

"Onde isso o coloca?" disse Wolff quando perguntado sobre a conquista de Hamilton. "Em termos de números, ele chega aos mesmos de Schumacher, além de ser o maior vencedor de provas e em poles".

"Hoje ele consolidou sua posição entre os maiores da história do esporte".

Wolff disse que vencer em uma temporada atingida pela Covid-19, com as restrições inevitáveis em seu estilo de vida, foi desafiador para Hamilton.

"Acho que foi muito difícil para ele ficar na bolha, dentro de seu apartamento com a Angela [sua fisioterapeuta], tentando garantir que ele terminaria o campeonato. Certamente não foi fácil".

"Mas o mais importante, e hoje ainda mais, é que mesmo que o resultado não significasse muito para o campeonato, ele manteve aquela fome. Ele não cometeu nenhum erro e provou o quão comprometido ele é, mantendo-se disciplinado, ficando em casa e vindo para cá, executando tudo perfeitamente".

Wolff disse que a equipe conseguiu gerenciar bem a corrida na Turquia, mantendo Hamilton na pista com seus pneus intermediários gastos. Todo mundo exceto Pérez, o segundo, voltou aos boxes para colocar um conjunto novo.

"Em termos de estratégia, foi o certo mantê-lo na pista, porque ele estava cada vez mais rápido e não havia razão para a troca. Sabíamos que o pneu estava bem e no final apenas que ficamos um pouco preocupados com a chuva, porque o pneu já havia virado um de pista seca, basicamente".

"Deixamos para ele escolher e ele optou por seguir, o que foi o certo. Os pneus tinham fases diferentes, começavam bem, tinham alguns problemas no meio e depois voltavam, mas alguns não tiveram isso, como Lance [Stroll] e Max [Verstappen]".

"Ele ficou e construiu uma vantagem em cima dos rivais quando importou e entender como que o pneu funcionava e como lidar com ele para tirar o máximo de performance e duração".

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

PÓDIO: Chuva traz caos ao GP da Turquia, mas Hamilton se sobressai, vence e garante o hepta

PODCAST: O calendário 'pós-pandemia' da F1 2021 é o mais correto? Ouça o debate

Your browser does not support the audio element.