Após derrota para Nigéria, Maradona diz que quer voltar a treinar a Argentina

Buenos Aires, 14 nov (EFE).- O ex-jogador Diego Maradona afirmou nesta terça-feira, após a derrota da Argentina, de virada, por 4 a 2 para a Nigéria, amistoso em Krasnodar, na Rússia, que "deseja voltar" para a seleção.

"Quem ganhou mais? Vamos tirar nossas conclusões. Eu estou quente porque eles afastam nosso prestígio, os garotos não têm culpa. Eu quero voltar!", escreveu na sua conta oficial da rede social Instagram, numa publicação que acompanhou com um quadro comparativo com os resultados entre diferentes técnicos da seleção argentina.

Na imagem, Maradona aparece com 24 partidas, das quais venceu 18, com seis derrotas e nenhum empate.

Em apenas seis horas, a publicação do atual treinador do Al-Fujairah, dos Emirados Árabes Unidos, acumulou mais de 47 mil "curtidas".

No mês de junho, Maradona criticou o atual treinador da seleção, Jorge Sampaoli, dizendo que ele "não foi um bom jogador no passado" e de não ser um "bom pensador".

Maradona comandou a seleção argentina entre os anos de 2008 a 2010, e deixou a equipe após a eliminação para a Alemanha nas quartas de final da Copa do Mundo da África do Sul.

A Argentina, que vencia por 2 a 0 e levou a virada para os nigerianos, jogou sem Lionel Messi e com uma equipe recheada de reservas, onde Sampaoli buscou alternativas para o Mundial da Rússia.

Esta foi a primeira derrota do técnico após quatro vitórias com a seleção, três delas em amistosos, e três empates nas Eliminatórias sul-americanas. EFE