Witzel diz que errou ao apoiar Bolsonaro: "Pior cego é o que não quer ver"

Colaboradores Yahoo Notícias
·1 minuto de leitura
Rio de Janeiro's Governor Wilson Witzel (L) and Brazilian President Jair Bolsonaro attend a ceremony at the Federation of Industries of Rio de Janeiro (FIRJAN) headquarters in Rio de Janeiro on May 20, 2019. (Photo by MAURO PIMENTEL / AFP) (Photo credit should read MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images)

O governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Wiztel (PSC), admitiu ter se arrependido ao apoiar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nas eleições de 2018.

No Twitter, ao elogiar a união de partidos para apoiar o candidato de Rodrigo Maia (DEM-RJ) à Presidência da Câmara, o político foi confrontado por uma jornalista sobre a aliança com o então candidato ao Planalto.

"A vida é um aprendizado", afirmou Witzel, em sua rede social. "Cometemos erros. O importante é reconhecê-los e repará-los. O pior cego é aquele que não quer ver”, complementou.

Em outra publicação, Witzel justificou o apoio a Bolsonaro em função da escolha de Paulo Guedes para o Ministério da Economia (então Ministério da Fazenda).

"Tínhamos duas opções apenas, [Fernando] Haddad [PT] e Bolsonaro. Lendo o plano de governo e as ideias de Paulo Guedes [ministro da Economia], entendi que seria o melhor caminho. Não se trata de surfar, mas de análise técnica”, escreveu.