Winck faz acordo com o Vasco e será reintegrado; Bruno César recusa

Luiza Sá
LANCE!


O lateral-direito Claudio Winck será reintegrado ao elenco do Vasco. Após ser afastado, ele aceitou uma proposta do clube e voltará a treinar com o restante do grupo ainda nesta semana. O retorno do jogador era um desejo da comissão técnica, que não participou da decisão de colocar ele, ao lado de Rafael Galhardo e Bruno César, para treinar separadamente.

Os outros dois continuam fora. Bruno César não aceitou a proposta feita pelo clube, que consistia em transferir a dívida referente aos direitos de imagem, aberta desde setembro, apenas para janeiro de 2021. A informação foi dada inicialmente pelo "Globo Esporte" e confirmada pelo LANCE!. Galhardo está fora dos planos e não chegou a ser procurado.

Winck tem 25 anos e, dos três, era o que Abel mais desejava de volta. Atualmente o Vasco tem apenas Yago Pikachu, além do jovem Cayo Tenório, para a posição. Ele chegou a ser sondado por uma equipe da MLS, liga de futebol dos Estados Unidos, mas não avançou. O vínculo atual do jogador com o Cruz-Maltino é válido até o final de 2020. O lateral chegou a jogar algumas partidas no ano passado, mas foi afastado pelo então técnico Vanderlei Luxemburgo e não retomou o espaço na Colina.

Com isso, o presidente Alexandre Campello joga a dívida com Winck para o próximo presidente. As eleições do Vasco acontecem no final deste ano. A decisão de afastar os jogadores no início da temporada foi feita pela diretoria. Apesar do desejo da comissão em ter os atletas - pelo menos nos casos de Winck e Bruno César -, o retorno foi aceito apenas em caso de um acordo financeiro.

O elenco curto tem sido um problema para o Vasco em 2020. Por isso, os jogadores já haviam pedido a volta dos afastados. Pesava apenas a vontade da diretoria em negociá-los. O Vasco buscava alternativas para os três, mas ainda não havia conseguido uma proposta concreta.








Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também