Willian Arão repete roteiro de Léo Moura em 2010 e é expulso no jogo 300 pelo Flamengo

·1 minuto de leitura


A quarta-feira - que era para ser de festa - se transformou em um drama para Willian Arão. O volante completou a marca de 300 jogos com a camisa do Flamengo no duelo contra a LDU, pela Libertadores, mas acabou expulso e deixando a equipe com um a menos. Cenário idêntico ao vivido por outro atleta rubro-negro há onze anos.

+ Qual o seu favorito? Confira a evolução do uniforme 2 do Flamengo no século

Em 10 de outubro de 2010, Léo Moura completava seu 300º jogo com a camisa do Flamengo diante do Avaí, na Ressacada. Quando o Rubro-Negro vencia por 2 a 1, o lateral-direito recebeu o segundo cartão amarelo no início do segundo tempo e complicou a vida para a equipe, que viria a sofrer o empate.

O caso de Arão foi ainda mais emblemático. O volante recebeu a braçadeira de capitão em um duelo importante da Libertadores, mas acabou expulso de forma direta logo aos 14 minutos de jogo. O lance que motivou o cartão vermelho foi um chute no rosto do adversário. Com um a menos, o Flamengo abriu o placar, sofreu a virada e buscou o empate por 2 a 2 no fim do jogo.

+ Confira a tabela da Libertadores 2021

As coincidências entre Arão e Léo Moura não param por aí e outra curiosidade acompanha os números dos atletas pelo Flamengo: os dois precisaram de 5 anos, 3 meses e 28 dias para alcançar o 300º jogo com a camisa rubro-negra.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos