William Matheus admite a ansiedade para estrear no Coxa

Daniel Piva  Curitiba (PR)
Demora na regularização da documentação e lesão atrapalharam o início do jogador pelo Coritiba


Um dos 12 reforços do Coritiba para a temporada 2017, o lateral William Matheus ainda não estreou pelo Coxa. A documentação demorou para ficar regularizada e quando ficou o jogador acabou se lesionando. Recuperado, o jogador demonstra respeito ao companheiro Carlinhos, atual titular da posição, mas admite a ansiedade por voltar a jogar.

Sem jogar desde o fim da temporada passada, William Matheus se diz pronto para ajudar o Coritiba. Em entrevista exclusiva ao Lance!, o jogador demonstra otimismo para a temporada alviverde, apesar do começo ruim.

Além disso, William Matheus comenta também sobre a saída do técnico Paulo César Carpegiani, que saiu disparando críticas ao clube, e, assim como outros nomes do elenco, faz campanha para a permanência do interino Pachequinho.

L! - Sua estreia vem sendo bastante aguardada no Coritiba, mas quando houve a regularização da documentação você acabou se lesionando... como vem sendo para você lidar com essa ansiedade pela estreia?

William Matheus - É sempre ruim ficar de fora, ainda mais quando se está chegando num clube novo. Infelizmente, tive essa lesão que adiou minha estreia, mas sei que as coisas acontecem no tempo certo e estou treinando forte para, quando tiver a oportunidade, entrar e mostrar o meu futebol para a comissão técnica e para a torcida do Coritiba e ajudar os meus companheiros na busca pelas vitórias.

L! - O gerente de futebol Alex Brasil disse que você chegou a participar da pré temporada em Foz, ficando escondido da imprensa que acompanha o trabalho lá. Como foi isso? Quais trabalhos você conseguiu realizar?


William Matheus - Exatamente. Antes de me apresentar oficialmente ao Coritiba e começar a treinar com o grupo, fiquei treinando a parte física com os preparadores do clube, que me passavam os trabalhos necessários para manter a forma. É claro que o ideal era estar com os meus companheiros, mas, para não ter problemas na negociação, mantivemos desse jeito. E graças a Deus deu tudo certo. Consegui fazer um bom trabalho e agora é ir adquirindo o ritmo de jogo ideal com o passar do tempo.

L! - Você chegou no clube neste ano. Como foi a convivência com o Carpegiani, que saiu do clube disparando algumas críticas aos dirigentes e até mesmo aos jogadores?


William Matheus - O Carpegiani tem uma grande história no futebol e já estava há um tempo no Coritiba, mas, infelizmente, não consegui conviver tanto tempo com ele. Acredito que o futebol é feito de ciclos e, nesse momento, o dele no Coritiba teve uma pausa. Desejo toda a sorte do mundo para ele na sequência da sua carreira.

L! - Você é um dos que defendem a permanência do Pachequinho como técnico?


William Matheus - Estou no clube há pouco tempo, mas já deu para perceber que o Pachequinho é um cara excepcional, profissional e competente. Acho que ele pode desempenhar um ótimo trabalho no Coritiba, mas essas questões ficam mais para a diretoria. O importante é que o time consiga os resultados dentro de campo, independente de quem estiver comandando. Vamos apoiar e jogar por quem estiver à frente do time.

L! - O seu concorrente direto para a titularidade é o Carlinhos. Como é a relação entra vocês?


William Matheus - A relação vai ser sempre respeitosa, cada um buscando o seu espaço. O Carlinhos já tem um bom tempo de Coritiba e eu estou chegando agora, mas vou trabalhar duro para buscar o meu espaço entre os titulares, sempre respeitando o companheiro. Acho que cada um tem suas qualidades e isso gera uma dor de cabeça boa para o treinador. O importante é ter um elenco forte para buscar os resultados durante a temporada.

L! - Como você se define? É correto dizermos que uma das suas principais qualidades é a pressão na marcação no adversário?


William MathesAcredito que sou um lateral que consegue equilibrar o jogo, tendo uma marcação forte quando o time adversário ataca e consigo chegar bem à frente nas jogadas ofensivas da nossa equipe. Os times de hoje costumam jogar com jogadores de ponta abertos pelos lados, e isso exige uma maior atenção na marcação, então procuro treinar forte esse ponto para poder executar de forma positiva durante os jogos.























E MAIS: