Weverton, do Atlético-PR, e Kleber, do Coritiba, são os protagonistas da 17ª final entre a dupla Atletiba

Daniel Piva
Evânio Rodrigues foi medalhista de prata na Rio-2016

Se nos bastidores Atlético-PR e Coritiba seguem unidos em negociações, dentro de campo a rivalidade entre os dois clubes ficará ainda mais acirrada. A partir das 16 horas deste domingo, na Arena da Baixada, a dupla Atletiba passa a decidir mais um título paranaense. É a 17ª final entre os clubes e, consequentemente, o desempate, já que até aqui cada um levou a melhor oito vezes. Para esta decisão, cada torcida deposita a ficha em importantes nomes dos times: os atleticanos no goleiro Weverton e os alviverdes no atacante Kleber Gladiador.

Para garantir a taça ao Coritiba, Kleber terá uma difícil missão: quebrar o jejum de nunca ter marcado gol no Atlético-PR na carreira. No total, o Gladiador enfrentou o Furacão 15 vezes. Não marcou nenhuma vez, deu apenas uma assistência para gol - pelo Palmeiras, no empate por 2 a 2, em 2011 - e, para piorar, foi expulso de campo três vezes (Grêmio, em 2013, Cruzeiro, em 2009, e em 2008 pelo Palmeiras).

Se não bastasse isso, com a camisa do Coritiba, Kleber viveu alguns momentos amargos em Atletibas. Embora tenha três vitórias e três derrotas em seis jogos, o atacante teve atuações discretas nas finais do ano passado, quando o Atlético-PR vence por 3 a 0 e 2 a 0, respectivamente, e ficou com o título. No Campeonato Brasileiro, o jogador ficou de fora do jogo do segundo turno e teve que escutar do então técnico do Coxa, Paulo César Carpegiani, que não jogou porque não quis. E, em 2017, no único confronto entre as equipes no ano, foi um dos principais responsáveis da derrota para os reservas do Furacão na Arena, já que desperdiçou um pênalti quando o jogo estava 0 a 0.

- Independente de quem faça o gol na cabeça dele, o importante é o Coritiba. Ele é fundamental para os dois jogos. Ele é um atleta experiente, já participou de muitas decisões. Sei que ele tem tranquilidade e maturidade. Não vejo pressão interna dele em busca disso. Ele sabe que é algo natural e que o importante é o Coritiba. Se pintar a oportunidade ele vai fazer, se não ele vai dar o passe para outro fazer - aposta o técnico Pachequinho, do Coxa.

Se Kleber quer aproveitar a final para cair de vez nas graças do torcedor do Coritiba, o goleiro Weverton quer usá-la para se manter em alta com os atleticanos. Aliás, foi justamente na decisão do ano passado que o jogador mudou de patamar com os torcedores, já que foi o protagonista de um título.

Desde que chegou ao Furacão, Weverton já disputou 11 Atletibas. De lá para cá ele obteve cinco vitórias, um empate e cinco derrotas diante do maior rival.

- Domingo tem Atletiba. É aquela coisa: tem o sentimento, é aquele jogo que mexe com a cidade. Então domingo a chapa vai esquentar, espero poder fazer mais um grande jogo aqui na Arena - declarou o goleiro atleticano.
















E MAIS: