Weston McKennie, jogador americano do Schalke, chama Trump de "racista"

AFP
McKennie usou uma braçadeira com a inscrição "Justice for George" durante uma partida do Schalke na Bundesliga após a morte de George Floyd
McKennie usou uma braçadeira com a inscrição "Justice for George" durante uma partida do Schalke na Bundesliga após a morte de George Floyd

O jogador americano do Schalke, Weston McKennie, fez duras críticas ao presidente de seu país, Donald Trump, por suas reações após a morte de George Floyd, considerando que ele pode ser descrito como "um racista", em uma entrevista publicada nesta quarta-feira no jornal alemão Bild.

"Para mim, você pode defini-lo como racista", disse o meio-campo afro-americano de 21 anos. "Não acho que ele seja a pessoa certa para ocupar o cargo de presidente", acrescentou.

"Não acho que ele perceba a responsabilidade que tem em relação ao país", declarou McKennie, acrescentando que nunca iria querer se encontrar com ele, mesmo que tivesse a oportunidade.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

O jovem manifestou sua emoção e solidariedade após a morte de George Floyd, usando uma pulseira com as palavras "Justice for George" na derrota de sua equipe de 1 a 0 contra o Werder Bremen em 30 de maio.

George Floyd morreu asfixiado no final de maio por um policial branco que colocou um joelho sobre seu pescoço por mais de oito minutos.

Sua morte provocou uma onda histórica de protestos anti-racistas nos Estados Unidos e em todo o mundo.

Leia também