West Ham tentou atravessar ida de Gabigol ao Flamengo

Yahoo Esportes
<em>Atacante foi apresentado como reforço do Fla nesta sexta-feira (Thiago Ribeiro/Gazeta Press)</em>
Atacante foi apresentado como reforço do Fla nesta sexta-feira (Thiago Ribeiro/Gazeta Press)

O Flamengo e os representantes de Gabigol viveram algumas horas de suspense nesta semana, pouco depois de o acordo verbal com a Inter de Milão ter sido definido. É que o West Ham, da Inglaterra, tentou melar o acordo rubro-negro para levar o atacante para a Premier League.

“Na última hora, depois que vazou a notícia do acerto com o Flamengo, o West Ham procurou a Inter e topou bancar o que os italianos estavam pedindo”, revelou um dos empresários de Gabigol, em contato com o Blog.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

O interesse do West Ham era conhecido há bastante tempo, mas o clube inglês aguardava a permissão de trabalho a Gabigol, por parte da Federação Inglesa, e negociava com os italianos uma redução no valor fixo da compra do jogador, após o período de empréstimo.

A permissão de trabalho, de acordo com o staff do atacante, foi concedida nesta semana. Porém, diante do impasse em relação a valores envolvendo os clubes, Gabigol se decidiu pelo Flamengo e convenceu os italianos de que o melhor caminho era seguir por aqui.

O artilheiro do último Brasileirão ficará na Gávea até dezembro, por empréstimo, sem custos. O Rubro-negro, no entanto, terá a responsabilidade de bancar 100% dos salários, que são de aproximadamente R$ 1,25 milhão por mês. Se existir uma proposta do exterior por Gabigol, o Flamengo terá a prioridade para cobri-lá, ficando assim com o brasileiro. Se não tiver interesse em comprá-lo e ocorrer a negociação, o Fla ficará com 5% do valor total.

No Santos? Gabigol foi alvo de muitas críticas por parte de torcedores santistas pela escolha do Flamengo. Os alvinegros queriam a permanência do menino da Vila para 2019. Mas o Peixe nem sequer fez proposta para manter o artilheiro, tampouco conversou com a Inter de Milão.

Vale lembrar que o empréstimo em 2018 só foi possível porque os italianos toparam pagar metade dos salários e Gabigol ainda abriu mão de mais de R$ 500 mil por mês. O Santos só teve a responsabilidade de desembolsar uma ajuda de custo no valor de R$ 50 mil mensais.

Leia também