Wendel, Douglas ou os dois? Abel estuda esquemas no meio de campo

Logo no início da pré-temporada no CT Pedro Antonio, Abel Braga encontrou a formação ideal para o meio de campo nos treinamentos do Fluminense. Recém-contratado, Orejuela assumiu a função de 1º volante e encaixou com Douglas, xodó do treinador e destaque na temporada anterior. Mesmo com as lesões do camisa 8 e as convocações do equatoriano, o esquema parecia intacto na cabeça do técnico, até o garoto Wendel encantar nos primeiros jogos como profissional. Agora, Abel tem três opções para duas vagas e algumas variações táticas para testar (Veja na galeria de fotos acima).

Com status de titular da Seleção do Equador, Orejuela tornou-se absoluto pela experiência e equilíbrio ao jovem meio de campo da equipe. Com posicionamento recuado com e sem a posse de bola, o camisa 18 é responsável pela saída de bola entre os zagueiros e por cobrir os espaços deixados pelos companheiros do setor. É o único do trio que tem a postura mais fixa.

Douglas e Wendel, na verdade, brigam pela posição de 2º volante, mais avançado. Os dois já atuaram a frente da defesa, mas têm características ofensivas que Abel explora no campo de ataque. Na teoria não poderiam jogar junto, mas as diferenças no estilo de jogo possibilitam uma nova formação - que seria testada na estreia da Sul-Americana, se o camisa 8 estivesse 100%.

- A única característica parecida é dinâmica e finalização. Ambos finalizam bem de fora da área. Um é mais preparado e o outro mais ativo. O Douglas surpreendentemente pra idade, 20 anos, tem uma noção de espaço de campo muito grande. Tomara que o Wendel renove, é um jogador que não sente nada. Parece que está jogando como joga nos juniores - disse Abelão






E MAIS: