Weintraub minimiza falhas no Enem 2019, 'exageradas por militantes'

Yahoo Notícias
(EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
(EVARISTO SA/AFP via Getty Images)

Convidado pela Comissão de Educação do Senado para explicar os erros do Enem 2019, o ministro Abraham Weintraub minimizou as falhas na correção, que atingiram mais de 5 mil candidatos e levaram 172 mil a procurarem o Ministério da Educação (MEC), e os problemas de acesso no Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

O titular do Ministério da Educação (MEC) repetiu sua visão de que os estudantes levaram apenas "um susto" por conta da falha na correção e reafirmou que "absolutamente todas as provas foram rechecadas".

Leia também

— Antes de abrir o Sisu, isso já estava corrigido. Estatisticamente, o impacto na nota de corte não é significativo, é zero.

— Não dá para afirmar que sim, nem que não, mas eu diria que esse tipo de coisa pode ter acontecido no passado.

Ele dividiu em três grupos as pessoas que procuraram o MEC para se queixar de problemas no exame: "militante, que se fazia passar por um aluno, entrava colocando terror na rede, e a gente descartava"; "pessoas que não estavam entendendo o processo, e nós orientamos as pessoas a fazer os procedimentos corretos"; e o grupo de "alunos que foram mal, mas disseram que a culpa era do Weintraub. Os pais nos procuraram, nós checamos as provas e vimos que havia tirado a nota mesmo"

Já aconteceu no passado de 275 mil pessoas terem de refazer as provas

Quanto às falhas no Sistema Unificado de Seleção (Sisu)

— O investimento para manter o Sisu em placas no MEC seria de R$ 15 milhões. Nós decidimos investir R$ 2 milhões e migrar para a nuvem, da Microsoft. Nós sabíamos que viria uma quantidade muito grande (de acessos), fizemos alguns testes prévios.

— Das quatro milhões de pessoas que fizeram o Enem, quantas querem acessar o Sisu no primeiro dia, na primeira hora? Todas. Então, num primeiro momento, o sistema vai sendo sobrecarregado, existe uma lentidão. Para fazer os ajustes na nuvem da Microsoft, o sistema precisou sair do ar, experimentamos três períodos de interrupção no primeiro dia. No segundo dia, houve uma interrupção pela manhã e, a partir da tarde, o sistema operou normalmente.

Da AGÊNCIA O GLOBO

Leia também