Como um comentário de Warren Buffet fez as ações de empresas aéreas despencarem

Yahoo Finanças
Warren Buffett, presidente e diretor executivo da Berkshire Hathaway (Yahoo Finanças)
Warren Buffett, presidente e diretor executivo da Berkshire Hathaway (Yahoo Finanças)

As ações das companhias aéreas despencaram na última segunda-feira (4), depois que o investidor bilionário Warren Buffett disse a acionistas da sua empresa, a Berkshire Hathaway, que se desfez de todas as suas ações de empresas do setor no início do mês.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Buffett fez os comentários durante a reunião anual de acionistas da Berkshire no último sábado (2), um evento transmitido ao vivo pelo Yahoo Finanças. American Airlines, Delta e United Continental Holdings caíram mais de 12% na segunda-feira, enquanto a Southwest Airlines caiu mais de 8%.

Leia também

O que explica essa repercussão? A Berkshire assumiu grandes posições nas companhias aéreas no final de 2016, anos depois de Buffett ter jurado que não iria comprar ações de companhias aéreas.

Além de suas práticas normais, Buffett detalhou as transações que ele fez em abril, que normalmente seriam divulgadas em um arquivo regulamentar da SEC 13-F várias semanas após o fechamento do segundo trimestre. Especificamente, ele disse, em abril, que a Berkshire vendeu US$ 6 bilhões em valores mobiliários de seu enorme portfólio de ações.

"Normalmente, eu não falaria sobre isso, mas acho que a situação exige uma explicação", disse ele no sábado. "Não ficamos desapontados com os negócios que estavam sendo administrados e com a própria administração, mas chegamos a uma opinião diferente sobre o assunto".

Por causa da pandemia do COVID-19, as companhias aéreas estão entre os setores afetados por um choque exógeno "muito além de seu controle", disse Buffett. Mais tarde, ele acrescentou que se a Berkshire fosse proprietária de companhias aéreas agora, "seria difícil decidir se deve sustentar bilhões de dólares em perdas operacionais quando você não sabe em quanto tempo isso vai acontecer ou ocorrer".

Buffett também sugeriu que a pandemia também pode mudar o comportamento do consumidor a longo prazo, ressaltando que ele não corta o cabelo há sete semanas e está vestindo um moletom em vez de um terno.

"O mundo mudou para as companhias aéreas, não sei como isso mudou, e espero que se corrija de uma maneira razoavelmente rápida", disse ele. "Eu não sei se os americanos agora mudaram seus hábitos ou mudarão de hábitos por causa de um período prolongado, já que a economia está quase toda parada".

Anteriormente, o Oráculo de Omaha (apelido de Buffett), disse que "o futuro é muito menos claro" para ele sobre como os negócios serão depois da pandemia. Além disso, ele disse, se o negócio das companhias aéreas voltar a 70% ou 80%, provavelmente ainda haverá "muitos aviões inoperantes" e "excesso de oferta de assentos".

"Não parecia ser esse o caso quando os pedidos foram realizados há alguns meses, quando os acordos foram feitos", disse ele. "Mas o mundo mudou para as companhias aéreas e desejo-lhes tudo de bom."

Julia La Roche

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também