Walter confirma saída do Goiás e clube espera aval do Porto para rescisão

O reencontro entre Goiás e Walter chegou ao fim depois de sete meses. Em contato com a Gazeta Esportiva, a assessoria do clube confirmou, nesta terça-feira, que houve uma conversa entre a diretoria e os representantes do jogador – acusado de dar uma cotovelada no goleiro Matheus – na qual foram acertados os detalhes da rescisão contratual amigável do atleta, que inclusive se despediu da torcida através das redes sociais. A saída dele, porém, depende da autorização do Porto-POR, que detém os direitos federativos do jogador.

A cotovelada do centroavante no companheiro de equipe, relatada pelo gestor de futebol Harlei Menezes, ocorreu no dia 24 de fevereiro e serviu como estopim para o fim da segunda passagem dele pelo Esmeraldino. Por conta da situação, foi cogitada até demissão por justa causa, mas a rescisão harmoniosa acabou sendo o melhor caminho a ser tomado.

“Ontem à noite (esta segunda-feira) o Goiás e os representantes do Walter chegaram a um acordo para a saída do jogador. Porém, o contrato do Walter com o clube é de empréstimo, ele tem a maior parte de seus direitos econômicos ligados ao Porto, de Portugal. Daí o caminho final de como a rescisão será feita depende de um contato com os portugueses, isto está em andamento no dia de hoje (esta terça)”, afirmou a assessoria, que ainda apontou que a resposta dos portugueses deve sair nesta quarta-feira.

Leia mais: Goiás goleia e volta a vencer no Estadual

Walter está suspenso de todas as atividades e impedido até de entrar nas dependências do clube desde o dia 25 de fevereiro. Ele não chegou a participar da reunião, que contou com a presença de membros do departamento jurídico alviverde, e foi representado por agentes.

Mesmo com a polêmica envolvendo a agressão ao goleiro Matheus, este não foi o único motivo para a saída do atacante do clube da Serra Dourada. Muito acima do peso, o jogador considerado ídolo no Goiás não conseguiu retribuir o investimento em sua contratação – com o Esmeraldino assumindo o vínculo de empréstimo que pertencia ao Atlético-PR em 2016 – e passou a ficar, gradativamente, fora dos planos do time goiano.

Lamento e agradecimento à torcida

Através das redes sociais, Walter confirmou a rescisão e lamentou a saída. Nas palavras dele, o caso envolvendo a agressão a Matheus não passou de um “acidente de trabalho” e em momento algum ele teve a intenção de agredir o companheiro, que foi levado ao hospital e teve que passar a noite em observação por conta da pancada.

“Gostaria de comunicar aos torcedores do Goiás que ontem rescindi meu contrato com o clube! Infelizmente houve um acidente de trabalho que fez com o que a direção do Goiás optasse por rescindir o meu contrato. Estou saindo do clube chateado, pois esse não foi o final que eu gostaria. Deus sabe de todas as coisas e tudo é com a permissão dele! Gostaria de agradecer a todos torcedores que sempre me apoiaram e estiveram ao meu lado! Obrigado, nação esmeraldina!”, publicou o atacante nesta terça, ao lado de uma foto vestindo a camisa alviverde.

Vivendo seu ápice na carreira em sua primeira passagem pelo Goiás, entre 2012 e 2013, na qual marcou 38 gols em 64 jogos, terminando como um dos principais artilheiros do Campeonato Brasileiro de 2013, ele não conseguiu repetir seus dias de glória no Serra Dourada depois de retornar ao clube no ano passado. Desde agosto de 2016 de volta ao Esmeraldino, ele atuou em 17 jogos e balançou as redes em apenas três ocasiões.

*Especial para a Gazeta Esportiva