Wallim Vasconcellos deixa vice-presidência do Flamengo; Braz se manifesta

Wallim Vasconcellos encerrou a segunda passagem pelo Flamengo (Foto: Cleber Mendes/Lancepress!/AFP)
Wallim Vasconcellos encerrou a segunda passagem pelo Flamengo (Foto: Cleber Mendes/Lancepress!/AFP)


Após a saída de Paulo Pelaipe da gerência de futebol, o Flamengo viu, na última segunda-feira, outra pasta ficar vaga. Trata-se de Wallim Vasconcellos, que renunciou à vice-presidência de finanças do Rubro-Negro. Foi o fim da segunda dele passagem como dirigente do clube.

A informação inicial foi publicada pelo jornalista Mauro Cezar Pereira, no Uol.

Wallim atuava no cargo desde janeiro de 2019, ou seja, desde o início da gestão de Rodolfo Landim. Antes, era o vice-presidente de futebol do primeiro mandato de Eduardo Bandeira de Mello, cujo começo se deu em 2013.

Mais cedo ainda, em 2012, Wallim foi pré-candidato à presidência, porém não esteve apto para concorrer, dando lugar a Bandeira de Mello.

Via Twitter, Marcos Braz, atual vice-presidente de futebol do Flamengo, de forma sucinta, externou a sua gratidão ao - agora - ex-aliado no clube.

- Wallim, obrigado por tudo.

Marcos Braz, aliás, já havia se manifestado contra a saída de Paulo Pelaipe, na primeira semana de janeiro deste ano, após não renovação contratual, que tinha sido anunciada, inclusive. Contudo, apesar de haver divergências internas quanto a decisões da alta cúpula, Braz afirmou, à época, que não se sentia "enfraquecido".

- Eu não me sinto enfraquecido. O meu cargo aqui é estabelecer a confiança e a tranquilidade para o futebol em 2020. Eu queria isso (a saída de Pelaipe)? Não, tanto que pedimos a renovação.














Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também