Walcott pede união no Arsenal durante momento de crise

(Reuters) - O meia-atacante Theo Walcott, do Arsenal, conclamou seu companheiros de equipe a pararem de brigar entre si depois que o time foi eliminado nas oitavas de final da Liga dos Campões pela sétima temporada consecutiva com um placar agregado constrangedor de 10 x 2 para o Bayern de Munique.

O ponta chileno Alexis Sánchez, que segundo a mídia britânica teve uma série de desavenças com o técnico Arsène Wenger, foi colocado no banco na derrota de 3 x 1 para o Liverpool, no sábado, no Campeonato Inglês.

Sánchez, de 28 anos, foi afastado depois de supostamente abandonar uma sessão de treino e ser confrontado pelos colegas Laurent Koscielny e Aaron Ramsey.

Wenger tem dito que os relatos sobre um incidente no campo de treinamento são falsos, mas Robert Pires, ex jogador do Arsenal que treina com o time principal, disse que Sánchez se retirou depois de uma dividida dura.

"Há certas coisas que acontecem nos campos de treinamento... você não as vê com frequência no Arsenal", disse Walcott, de acordo com reportagens da mídia britânica nesta quarta-feira. "Aconteceram coisas. Elas têm que ficar no vestiário, e os jogadores e a equipe têm que resolver. Estamos nisto juntos. Não podemos brigar uns com os outros".

"Realmente não quero entrar na questão, mas o negócio que aconteceu não afetou nosso primeiro tempo aqui (em casa diante do Bayern de Munique)".