Wagner Ribeiro revela multa no contrato de Neymar e diz que presidente do Real ainda o quer

Yahoo Esportes
Wagner Ribeiro foi o primeiro empresário da carreira de Neymar (Alain Jocard/Getty Images)
Wagner Ribeiro foi o primeiro empresário da carreira de Neymar (Alain Jocard/Getty Images)

Embora não seja mais o representante legal de Neymar, Wagner Ribeiro continua bem informado sobre as coisas do atacante. E em entrevista ao autor deste Blog, na noite desta sexta-feira, o empresário fez importantes revelações, como a existência de uma multa no contrato de Neymar com o PSG.

"Hoje essa multa está em 164 milhões de euros (R$ 993 milhões). Durante os primeiros anos do contrato, não existia nenhum valor definido e o PSG tinha a chance de pedir o valor que quisesse para vendê-lo", afirma Wagner Ribeiro.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Quando contratou Neymar do Barcelona, em agosto de 2017, o PSG teve de desembolsar 222 milhões de euros, que equivaliam na época a R$ 816 milhões, maior transferência da história do futebol.

Também de acordo com Wagner Ribeiro, o Real Madrid ainda não desistiu de contratar o atacante brasileiro, apesar de o interesse ser bem antigo. "Fui a Madri várias vezes, porque o Florentino (Perez, presidente do Real) tinha o sonho de levar o Neymar. Ano passado estive com ele, em maio, no escritório dele, e ele voltou a dizer que tem esse sonho de contratar o Neymar", revela.

Se dependesse do empresário, Neymar teria trocado o Santos pelo Real Madrid, e não pelo Barcelona. A transferência, inclusive, rendeu uma relação bem ruim com Sandro Rossel, ex-presidente do Barça. 

Nesta entrevista exclusiva ao autor do Blog, Wagner Ribeiro ainda revelou que Chelsea, Juventus e Bayern de Munique já fizeram proposta por Neymar. "Recebi uma proposta oficial do Chelsea quando estava lá em Nova York, no dia em que o Neymar estreou na seleção barsileira, em 2010. Eles fizeram uma proposta, nós captamos, mas não decidimos nada. Depois, vieram propostas do Bayern de Munique e da Juventus, durante um almoço lá em Turim", relembra.

Leia também