VP do Flamengo, Marcos Braz rebate presidente do Internacional: 'Não está acostumado a chegar nas finais'

LANCE!
·2 minuto de leitura


A semana que antecede ao duelo decisivo entre Flamengo e Inter vem sendo marcada por um jogo nos bastidores. Após o presidente do clube gaúcho, Alessandro Barcellos, se pronunciar sobre as polêmicas da última rodada e citar preocupação com fatores externos, foi a vez de Marcos Braz, vice-presidente de futebol do Flamengo falar sobre o assunto.

Em coletiva nesta terça-feira, o dirigente disse não querer entrar em discussão, mas garantiu que o Rubro-Negro está atento às movimentações do Colorado nas vésperas da 'final antecipada' do Brasileirão.

+ Novo manto vindo aí: confira a evolução das camisas 1 do Flamengo no século

- O que o presidente falou é em função de ele não estar acostumado ainda a chegar nas finais. Acho que se empolgou um pouco. Ninguém vai chegar e ter qualquer tipo de pressão com o presidente falando lá, com maior respeito ao Internacional. Isso não adianta. A CBF está atenta, o Flamengo está atento. Eu já passei dessa fase de ficar discutindo pela imprensa. O que temos que fazer é totalmente diferente do que ele está fazendo lá. Mas acho que é isso. Está empolgado, até merece essa empolgação, o time dele está be, mas o pessoal lá do Sul tem que ir devagar com a louça.

Outro tema da coletiva foi a declaração do presidente do Corinthians, Duílio Monteiro, sobre o gol de Gabigol na partida entre as equipes no último domingo. O mandatário do clube paulista disse que ia pessoalmente à CBF para ter acesso aos áudios e vídeos do VAR no momento em que o lance foi revisado.

+ Confira a tabela do Brasileirão e simule os resultados

- O que o presidente do Corinthians fez não foi nada demais. Colocou uma opinião dele. Tem que respeitar. Tem um fato que é diferente de todos os outros. Nesse caso, em relação ao Gabigol, não podemos ir contra a tecnologia. Diferente do que aconteceu em outro estádio, o sistema de monitoramento estava valendo. Acho que é um pouco menos questionável. O presidente do Corinthians tem todo direito de questionar. Mas é muito diferente do que o presidente do Internacional querendo botar pressão em um jogo futuro. Enfim, piada isso - declarou Braz.