Vitor Benite quer fazer história com equipe espanhola

LANCE!
·3 minuto de leitura


Vitor Benite está perto de fazer história no basquete internacional. O capitão do Hereda San Pablo Burgos, da Espanha, pode se tornar o primeiro brasileiro bicampeão intercontinental e por duas equipes diferentes.

O ala enfrenta neste sábado, às 18h (de Brasília) o Quimsa, da Argentina, em Buenos Aires, na decisão da Copa Intercontinental da FIBA 2021, podendo repetir o feito de 2014, quando atuava pelo Flamengo.

Benite e o grupo desembarcaram na capital portenha nesta quinta, após a vitória pela liga espanhola sobre o BAXI Manresa (101 a 87) no último final de semana. Aos 30 anos, o ala chega mais experiente e tranquilo para a nova decisão internacional.

- Eu e todo o time estamos confiantes e concentrados. Jogar uma final e disputar um título é algo que sempre motiva o jogador. Temos que nos preparar bem e concentrar o máximo possível para trazer mais esta conquista para a cidade de Burgos - diz Benite.

O Hereda San Pablo Burgos classificou-se para o intercontinental após vencer a Champions League 2020, título mais importante de sua história, derrotando o AEK, da Grécia, na decisão. Chance de continuar fazendo história, segundo Benite.

- O time sabe muito bem a importância para a cidade e para o clube de ganhar um título intercontinental. A gente vem se preparando bastante pra isso, sabendo que o jogo único muda a forma de enfrentar o adversário, principalmente com a pressão de uma final. Precisamos estar preparados com os diferentes ânimos psicológicos dentro do jogo para sairmos com a vitória - opina o brasileiro, que também analisa o adversário deste sábado

- É um time argentino com talento e jogadores que podem nos trazer problemas. Mas, por ser um jogo único, creio que o mais importante seja a parte psicológica, a nossa concentração e como vamos trabalhar os altos e baixos dentro da partida. Isso vai ser mais importante que qualquer outra coisa. O fato de não haver torcida faz com que seja uma final diferente. Acredito que isso torne o jogo mais frio, pensado e equilibrado - completa.

Há sete anos, Benite fazia parte do elenco do Flamengo que derrotou o Maccabi Tel-Aviv, de Israel, em duas partidas. Conhecedor das equipes sul-americanas, o ala vê nisso um fator positivo para tentar neutralizar os argentinos.

- Eu sei muito bem como funciona a cabeça de quem enfrenta um time europeu. Existe uma certa obrigação de quem vem da Europa em ganhar esse jogo, e isso faz com que o time da casa entre com aquele ânimo a mais, de ser o conquistador de algo que ninguém espera - alerta.

- Por ter estado do lado de lá, aprendi que o time europeu precisa vir bem preparado, sabendo da qualidade dos times latinos e, que se vier desconcentrado, a chance de perder é muito grande. Espero passar um pouco dessa experiência, sabendo que vai ser um jogo muito duro", completa.

Comandante da conquista rubro-negra em 2014, o técnico José Neto, hoje na Seleção Brasileira Feminina e no Petro de Luanda, de Angola, destaca a evolução do ala nestes sete anos.

- O Vitor do Flamengo e do Burgos são pessoas bem diferentes. Ele aproveitou muito bem as oportunidades que teve para ser um jogador e uma pessoa melhores. Hoje a gente vê um Vitor Benite muito mais maduro, experiente, conhecedor e seguro de tudo que é capaz de fazer. Não tenho dúvidas de que essa versão é muito melhor - elogia o técnico.

- Ter a possibilidade de um brasileiro ser campeão intercontinental é sempre bom para o basquete brasileiro. Sendo o Vitor, é uma alegria ainda maior para mim, pois é um jogador que tem trabalhado muito para poder evoluir e muito importante para a geração que ele faz parte. Fico muito feliz e vou torcer muito para que isso aconteça - completou Neto.