Vitória vira para cima do Bahia e sai na frente na Copa do Nordeste

O primeiro Ba-Vi da sequência se quatro clássicos que teremos nos próximos dez dias acabou com uma vitória do Rubro-Negro, de virada, por 2 a 1, no estádio do Barradão. Na noite dessa quinta-feira, os eternos rivais se enfrentaram pelo duelo de ida das semifinais da Copa do Nordeste. A vaga será definida na Fonte Nova, semana que vem. Entre os jogos, os dois times também iniciarão a disputa pelo título Estadual.

Além da vantagem na semifinal do Nordestão, o Vitória acabou com a invencibilidade do Tricolor na competição e também conseguiu manter o tabu de não perder em casa para o arquirrival desde 2011.

Apesar da chuva fina, o clássico começou quente. O Bahia não quis saber e partiu logo para cima, apesar de estar no campo do maior rival. O Vitória, por outro lado, cochilou nos primeiros minutos e acabou pagando cara. Logo aos quatro, Edson subiu mais alto que todo mundo após cobrança de escanteio e abriu o placar, calando a torcida no Barradão.

O técnico Guto Ferreira só não gostou do cartão que Hernane recebeu pouco tempo depois. Como foi o terceiro do centroavante, ele está suspenso para o duelo de volta, semana que vem.

Mas, o maior problema para o Bahia estava por vir. Aos 19, Gustavo acertou Kanu em dividida forte e acabou expulso diretamente por ter usado o cotovelo. O lance e o cartão geraram uma grande confusão no gramado e o clássico ficou paralisado por cerca de cinco minutos.

Mesmo com um a menos, o Esquadrão conseguiu se arrumar em campo e se manter organizado a ponto de continuar melhor que o Vitória. Mas, na primeira bobeada, o Vitória foi fatal. Aos 37, Jean calculou mal o tempo ao tentar sair do gol e acabou deixando a bola limpa para Euller empatar.

A virada quase veio ainda no primeiro tempo. Willian Farias acertou um petardo de fora de área e a bola explodiu no travessão. Mas, o Barradão estava prestes a explodir de novo. E assim aconteceu aos seis minutos da etapa final. Após três escanteios consecutivos, André Lima bateu, Jean chegou a tocar na bola, mas a virada estava consumada.

E quando o jogo já caminhava para os minutos finais, uma queda de energia retardou o fim do clássico. Apesar da “torcida única”, o Barradão recebeu apenas 13.686 torcedores, e muitos deles não quiseram esperar os refletores acenderem novamente para ir embora. Depois de 20 minutos, o jogo foi reiniciado, mas, o placar não foi mais alterado até o apito final.