Vitória do Marrocos sobre a Espanha vai além do futebol e passa por questões políticas e sociais

Torcedores de Marrocos comemoram vitória na Copa do Mundo (Foto: Fadel Senna / AFP)


A vitória do Marrocos sobre a Espanha entrou para a história das Copas do Mundo. Não só pelo enredo dramático da partida, que só foi resolvida nas penalidades máximas, mas por todas as questões sociais e políticas que envolvem as duas nações que são vizinhas, apesar de ficarem em dois continentes diferentes.

O Marrocos fica localizado no Norte da África. Historicamente, foi habitado por diversas populações árabes e colonizado por franceses e espanhóis. Atualmente, o país conta com uma população de 37,340 milhões de habitantes, e é na Espanha que se concentra a segunda maior colônia de marroquinos no mundo. De acordo com dados do governo espanhol, atualmente cerca de 870 mil marroquinos vivem no país europeu. Contudo, números não oficiais estimam que o número chegue a um milhão de pessoas.

+ “Fiasco da Espanha” e “Gonçalo Ramos em noite dos sonhos”: imprensa internacional repercute terça de Copa do Mundo

Este grande número de imigrantes no país europeu ganhou força na virada do século, motivada pela maior desigualdade social entre países vizinhos de todo o mundo. Tendo em vista que a renda per capita média dos espanhóis giram em torno de R$ 158 mil anuais e a dos marroquinos no valor de R$ 17 mil anuais.

Esta realidade acarreta em um aumento de preconceito cultural entres os povos vizinhos. Segundo uma pesquisa realizada pela Secretaria de Estado e Imigração do Governo espanhol, 35% dos espanhóis têm "alguma antipatia" ou "muita antipatia" por imigrantes marroquinos.

+ Herói da classificação de Marrocos na Copa, Bono é eleito o melhor da partida: 'Mérito de todos'

O preconceito existente no país pôde ser visto nas ruas espanholas horas antes do jogo entre as seleções, quando uma mesquita localizada no município espanhol de Vitoria, foi alvo de um ataque de ódio. Espanhóis deixaram um javali morto na entrada do templo.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

HISTÓRICO

Depois de um jogo amarrado no Estádio Cidade da Educação, a Espanha e os Leões do Atlas ficaram no 0 a 0 no tempo regulamentar. Na disputa de pênaltis, quem levou a melhor foram os marroquinos e venceram por 3 a 0 e avançaram para a próxima fase na Copa do Mundo do Qatar. Foi a primeira vez que o país norte-africano passou das oitavas do Mundial.

+ Qual é a melhor campanha do Marrocos na história da Copa do Mundo?

No país africano, o triunfo sobre a seleção espanhola gerou uma grande mobilização nas ruas. Nas redes sociais, diversos vídeos da comemoração de torcedores viralizaram nas redes sociais. Em Casablanca, na capital do país, os marroquinos foram à loucura após o apito final.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Dentro de campo, três jogadores foram canal das questões externas que envolviam a partida. Um dos destaques na partida, o atacante Sofiane Boufal concedeu uma entrevista emocionante sobre o feito no Qatar.

- Obrigado a todos os marroquinos de todo o mundo pelo seu apoio, a todos os árabes, a todos os muçulmanos. Esta vitória pertence a vocês - disse o jogador.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Nas penalidades, o goleiro Bounou, que joga no Sevilla, fez duas grandes defesas nas cobranças de Soler e do capitão espanhol Sergio Busquets. O arqueiro foi às lágrimas após a decisão e foi celebrado pelos companheiros de seleção.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O lateral-direito Achraf Hakimi nasceu na Espanha, mas optou por jogar pelo país de sua mãe, o Marrocos. Ele foi o responsável por bater o pênalti que eliminou a Espanha e classificou de forma histórica o país africano para as quartas de finais da Copa do Mundo.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Depois do feito histórico, o Marrocos vai enfrentar a seleção de Portugal neste sábado, às 12h (horário de Brasília), no estádio Estádio Al Al Thumama.