Vitória 'com cara de Corinthians' pode ser divisor de águas para o time

Gabriel Santos
·2 minuto de leitura


Fazia tempo que o Corinthians não deixava seu torcedor orgulhoso da postura da equipe em campo. Pode ter sido apenas uma vitória sobre o líder Internacional, por 1 a 0, na Neo Química Arena, sem exagero nenhum, o triunfo tem todas as chances de ser um 'divisor de águas' para os comandados de Vagner Mancini.

Em tempos de Halloween, a escalação inicial do Corinthians foi um 'susto' para a maioria da torcida, pela entrada de Matheus Davó no ataque, na vaga de Boselli, que sentiu um mal-estar antes do jogo e foi vetado. Não pela falta de qualidade técnica do camisa 33, mas pelas poucas oportunidades dele no time.

A equipe começou o jogo pressionada e quase levou um gol antes de um minuto, com Edenílson. Porém, com o passar do tempo, o time foi se acertando e conseguiu encaixar a marcação, deixando a bola com o Inter e apostando na transição rápida ao ataque. Em uma dessas transições, Cazares fez uma linda jogada e cruzou para Davó bater de primeira e marcar uma 'travessura' contra o Colorado.

Era notória a agressividade dos jogadores do Corinthians, que não desistiam de nenhuma bola e não deixavam espaços para o ataque do rival, ao contrário da partida contra o Flamengo e o segundo tempo diante do América-MG, por exemplo. Xavier, Gil e Marllon tiveram atuações quase perfeitas, não deixando Edenison, Patrick e principalmente Thiago Galhardo, jogarem.

- Esse jogo tem que ser e deve ser um divisor de águas. Não podemos aceitar o jogo do Corinthians como contra América-MG. Não foi um jogo terrível, tivemos oportunidades e volume, mas o que o torcedor quer ver é o que viu hoje. Isso foi passado aos atletas. Tivemos uma conversa verdadeira de muita cobrança. Faço isso com costume. Às vezes tem de botar dedo na ferida e falar verdade. Sempre vou falar – falou o técnico Vagner Mancini, que tem cinco partidas no Corinthians, com três vitórias e duas derrotas.

Já no ataque, valem elogios a Ramiro e Cazares, que levavam perigo pelas pontas e ajudavam na recomposição defensiva. O colombiano, inclusive, fez a jogada do gol corintiano e demonstrou estar a fim de jogo durante o tempo que ficou em campo. Já o volante demostrou raça e foi valente em todas as jogadas, mas acabou levando cartão amarelo.

Porém, nem tudo são flores. Apesar da vitória, vale a ressalva no erro de Luan em chance clara no final da partida, o que, claramente, mostra a falta de confiança do camisa sete. E também, a ausência de troca de passes da equipe, que preferiu abdicar da bola em alguns momentos.

No fim das contas, uma vitória em cima do então líder do Brasileirão que pode servir para o Corinthians ganhar confiança e almejar coisas maiores no ano.