Vinícius Rodrigues quebra o recorde paralímpico e vai à final dos 100m

·2 minuto de leitura


O paulista Vinícius Rodrigues fez história no atletismo paralímpico. Na manhã deste domingo (horário de Brasília), ele se classificou para a final dos 100m classe T64, para atletas amputados em um dos membros inferiores, com o tempo de 12s11, novo recorde da história do torneio, no estádio Olímpico de Tóquio.

Curiosamente, o paulista de 26 anos começou mal e precisou da repescagem para se classificar. Quem ficou em segundo nesta bateria foi o russo Anton Prokhorov. Já o bronze ficou com o sul-africano Michael Mabote. Nos Jogos Paralímpicos, é comum atletas de classes diferentes competirem, desde que os organizadores entendam que não isso dá vantagem para alguém.

Na segunda bateria, os três que avançaram foram o alemão Leon Schaefer, com 12s32, o dinamarquês Daniel Wagner e o italiano Alessandro Ossola. O australiano Scott Reardon e o holandês Joel De Jong, um de cada bateria, avançaram por tempo, totalizando oito finalistas. A decisão será nesta segunda-feira, às 8h43.

Quadro de medalhas

O Brasil está em sexto, com dez ouros, 5 pratas e 15 bronzes. O primeiro lugar é da China, com 46 ouros, seguida de longe por Grã-Bretanha (23), Estados Unidos (15), Comitê Paralímpico Russo (15) e Ucrânia (10), que estão na frente do Brasil pelo número de pratas: 22. Azerbaijão (9), Austrália (8), Itália (8) e Países Baixos (7) completam o top-10.

Alan Fonteles decepciona

Quem não se classificou para a final foi o paraense Alan Fonteles. Um dos favoritos para o ouro, ele foi campeão paralímpico em 2012 e ainda detém o recorde mundial dos 100m na T43, que é para biamputados. Ele ficou em sexto na sua sbateria (a segunda) e finalizou a prova em 11s30. O alemão Felix Streng, o mais veloz da bateria, anotou 10s72 e quebrou o recorde paralímpico.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos