'Vilões' da derrota da Inglaterra na Euro ganham segunda chance e se redimem na Copa


No ano passado, a Inglaterra chegou à sua primeira final de Euro na história, mas foi derrotada nos pênaltis pela Itália na decisão. Jadon Sancho, Marcus Rashford e Bukayo Saka desperdiçaram as suas cobranças. No entanto, dois dos três se redimiram logo no primeiro jogo da seleção inglesa nesta edição da Copa do Mundo, deixando AS suas marcas na goleada do English Team sobre o Irã, por 6 a 2.

+ Humor na Copa: veja os memes do 3º dia do Mundial do Qatar

Saka, que perdeu a penalidade decisiva, iniciou como titular contra os iranianos e foi às redes duas vezes. Até aqui ele é o artilheiro do Mundial, ao lado de Enner Valencia (Equador), Mehdi Taremi (Irã) e Olivier Giroud (França). Rashford iniciou a partida entre os reservas, mas entrou aos 26 minutos do segundo tempo e foi às redes logo em seu primeiro lance em campo. Restou somente Sancho, que não conseguiu dar a volta por cima, pois nem convocado para a Copa do Mundo foi.

Na ocasião da Euro, o técnico Gareth Southgate, que segue no comando do English Team, assumiu a culpa. Foi ele quem decidiu colocar Rashford e Sancho no fim da prorrogação somente para participar das cobranças de pênaltis e também definiu que Saka bateria o último, pois estava se apresentando bem nos treinamentos. O que o treinador inglês não considerou foi a idade dos garotos. Na ocasião, Saka tinha 19 anos, Sancho 21 e Rashford 23.

Para piorar o trio de garotos sofreram ataques racistas, principalmente através das redes sociais, após o episódio dos pênaltis perdidos. Rashford foi o alvo principal, pois já possuia um histórico de ativismo em busca do equilíbrio social, principalmente na luta contra a fome. No início da pandemia do coronavírus, o atleta do Manchester United liderou a campanha 'Players Together', que arrecadou 4 milhões de libras (cerca de R$ 26 mi, à época) para o Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido. No mesmo ano, Marcus foi responsável por distribuir 3 milhões de refeições durante o surto de Covid-19, em parceria com a instituição de caridade Fareshare. A ação fez com que o primeiro-ministro britânico à época, Boris Johnson criasse um fundo alimentar para crianças carentes.

+ Confira a tabela da Copa do Mundo e simule as partidas até a final

Rashford lamenta pênalti perdido na final da Euro 2020
Rashford lamenta pênalti perdido na final da Euro 2020

Rashford lamenta penalidade perdida na final da Euro (Foto: John Sibley Pool/AFP)

CHANCE QUE NÃO TEVE

A relação entre Inglaterra, Southgate e disputa por pênaltis é péssima, principalmente se o palco é o lendário estádio de Wembley, em Londres. Além da derrota na final da Euro, no ano passado, realizada no palco londrino, Gareth foi o grande ‘vilão’ da Inglaterra na eliminação dos Três Leões na semifinal do campeonato europeu de 1996. Na ocasião, as cinco penalidades para cada lado já haviam sido convertidas, então o zagueiro de 25 anos, que atuava pelo Aston Villa, foi para a cobrança alternada e parou no goleiro Köpke. Na sequência, Möller converteu a cobrança e colocou os alemães, que seriam campeões, na final.

Gareth Southgate - pênalti perdido em 1966
Gareth Southgate - pênalti perdido em 1966

Atual técnico da Inglaterra, Gareth Southgate perdeu pênalti decisivo pela seleção inglesa em 1996 (Foto: PA)

Gareth Southgate ainda disputou outra Eurocopa, em 2000, além das Copas do Mundo de 1998 e 2002, mas não conseguiu o êxito de Rashford e Saka, de iniciarem o processo de ‘troca de chave’. A chance da redenção está na conquista da principal competição entre seleções do mundo neste ano, calando os críticos do seu trabalho à frente da seleção inglesa.

Caso a Inglaterra seja campeã mundial neste ano será, além do marco de ser uma vitória expressiva após 56 anos, também marcará o fato de ser a primeira conquista dos ingleses longe do país. Isso porque até em eventuais títulos das Euros em 1996 e 2020 a decisão seria o mesmo Wembley que o English Team conquistou o Mundo em 1966.