Victor Ferraz rebate críticas e enaltece ‘verdadeiro torcedor’

As críticas da torcida ao elenco santista em decorrência da derrota no clássico contra o Palmeiras, disputado no último domingo, na Vila Belmiro, repercutiram entre os jogadores. Um dos líderes do grupo alvinegro, o lateral direito Victor Ferraz considerou inoportunas as reclamações dos santistas, que chegaram a pichar o muro do CT Rei Pelé pedindo ‘mais raça e menos religião’.

“As reações do torcedor, principalmente no País, não só a do Santos, é torcida em geral, não sei se é movida por que lê e assiste, mas tende a amplificar quando perde. Ano passado eles tiveram milhões de oportunidades (de elogiar). Perdemos um clássico em 13, fomos campeões paulistas, vice no Brasileiro, poderiam pichar ‘mais religião’, ‘essa panelinha me serve’, e aí aproveitaram uma situação ruim, a maior turbulência em dois anos. Não estávamos jogando bem, é verdade, mas descarregaram”, avaliou.

O lateral direito ainda rejeitou qualquer insinuação de que houvesse uma ‘panelinha’ no elenco que influenciaria as decisões de Dorival Júnior acerca do time titular. Para Victor Ferraz, a oscilação do time é normal e cabe ao torcedor apoiar a equipe quando o nível das atuações estiver abaixo do esperado.

“Estamos aqui há quanto tempo? O verdadeiro torcedor me conhece, conhece Ricardo (Oliveira), Renato. Acabou sendo exagerado. Sobre as críticas, foram válidas. Perdemos jogos que não estamos acostumados, acostumamos mal o nosso torcedor. É normal. E aceitamos as críticas construtivas e por causa disso a gente melhorou, consertou e voltou a jogar bem. Espero que continuemos melhorando e que o verdadeiro torcedor nos apoie, assim como foi com a torcida em Sorocaba, que nos apoiou o tempo todo”, declarou.

De olho no próximo compromisso do Peixe, neste sábado, às 15 horas (Brasília), contra o Santo André, no Estádio Bruno José Daniel, Victor Ferraz descarta qualquer possibilidade de crise no clube e espera uma vitória para encaminhar a classificação do Santos às quartas de final do Campeonato Paulista.

“Futebol é isso aí. É muito rápido. A gente fala para os mais novos, os que sofrem críticas, que eles precisam de 90 minutos para serem ídolo de volta. A gente sabe que uma boa vitória pode nos classificar, pode fazer com que a gente encoste no Corinthians para ainda ser o segundo lugar do geral e diminuir a distância para o Palmeiras. Termos o segundo jogo na Vila é o nosso grande objetivo no momento”, concluiu.