Vettel lamenta não ter feito mais e destaca padrão da Ferrari para 2020 após início atípico

motorsport.com

O GP da Hungria de Fórmula 1 foi a melhor prova da temporada 2020 para Sebastian Vettel até o momento. O tetracampeão largou em quinto e terminou em sexto no GP da Hungria, após uma primeira parada muito ruim, devido ao fluxo de carros nos boxes. Mas Vettel vê um ponto positivo na corrida: a Ferrari pode ter encontrado seu normal para este ano.

Após a prova, Vettel falou que não houve nada de errado na parada, questionando apenas se haveria um espaço para soltá-lo antes ou se seria melhor parar uma volta mais cedo.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também:

Terminar em segundo foi como vencer, diz VerstappenBottas explica largada difícil na Hungria e lamenta: "Foi uma corrida bem ruim para mim"F1: Hamilton vence fácil o GP da Hungria; Verstappen segura Bottas

"Não acho que teve algo de errado. Mas algumas pessoas vieram para os boxes ao mesmo tempo. Isso nos custou muito tempo. Talvez poderíamos ter reagido mais rápido. Não sei se havia um espaço onde poderiam ter me liberado, ou se ela melhor ter parado uma volta antes".

"Mas tudo bem. A fase inicial era o momento para termos tirado o máximo de proveito. Mas, de qualquer jeito, eu esperava que tivéssemos mais para tirar. Acabamos indo cedo para os boxes e os pneus estavam muito gastos no final".

"Obviamente eu gostaria de ter feito mais no final, mas, no momento, fiz o que era possível para nós".

Tanto Vettel quando Leclerc tomaram voltas de Hamilton, sendo que apenas os ponteiros não foram ultrapassados pelo vencedor ao longo da prova. Mas, para Vettel, isso não surpreendeu devido à força da Mercedes.

"Já era claro desde antes da corrida que nós tomaríamos uma volta deles, então não foi uma surpresa. A demonstração de forças da Mercedes não me surpreendeu. Era um dia onde quinto era a posição final máxima".

E, para o tetracampeão, esse deve ser o normal da Ferrari em 2020.

"Agora voltamos ao normal. A primeira corrida na Áustria foi atípica, enquanto na segunda nem chegamos a fazer".

Q4: Mercedes voa, Stroll dá as caras, Ferrari avança e Red Bull regride na Hungria

PODCAST: Guerra de bastidores na F1 e entrevista exclusiva com Igor Fraga

Your browser does not support the audio element.

Leia também