Veteranos x revelações: Fluminense repete fórmula e espera novo destaque no Brasileirão

·3 minuto de leitura


A limitação no poder financeiro fez com que as promessas criadas em Xerém se tornassem a solução do Fluminense nos últimos anos. Mas foi na mescla com os veteranos que o Tricolor fez sua melhor temporada dos últimos anos e encontrou o equilíbrio. Neste início de Campeonato Brasileiro, o Flu repete a fórmula e tenta alcançar o sucesso com a juventude de Kayky e Gabriel Teixeira, recém-promovidos, além da experiência de Fred, Nene e outros.

> Brasileirão vai começar! Veja datas, onde assistir e estádios dos dez primeiros jogos do Fluminense

A média de idade do elenco é de cerca de 26,2 anos. Kayky e Jefté, com 17 anos, Calegari, André, Martinelli e John Kennedy, com 19, além de Pedro Rangel, Gabriel Teixeira e Luiz Henrique, com 20, são os mais novos. Já os mais velhos são Nene, com 39, Fred, aos 37, Matheus Ferraz, de 26, David Braz, Muriel e Egídio, com 34, Raúl Bobadilla, 33, Ganso, Manoel e Samuel Xavier, com 30.

Veja a tabela do Brasileirão

- Eu procuro estar perto dos garotos, usar a minha experiência para dar dicas, ajudar no que for preciso. Muitos desses jovens vêm da base e chegam sedentos por aprender e conquistar seu espaço. Ano passado esses garotos foram tão importantes quanto os experientes, e sei que eles podem e vão ajudar o Fluminense durante essa temporada, por isso é tão essencial estarem preparados. A mescla de idades é interessante justamente para que os novos talentos que aparecem, possam se desenvolver dentro do clube, adquirindo experiência e aprendizado para ajudar o time quando estiverem em campo - disse Nene, o mais experiente, ao L!.

- São eles que dentro de campo falam comigo, me orientam, me ensinam a maldade do jogo profissional. Com isso eles têm me ajudado bastante a me adaptar ao estilo de jogo. Essa mescla é boa demais porque cada um pode ajudar o outro de formas diferentes, um com velocidade e outras coisas, o outro com conhecimento - avaliou Kayky, o mais jovem.

Quando o Flu retornou da paralisação em meio à pandemia da Covid-19 em 2020, a média de idade dos jogadores de linha titulares chegou a bater 29,8 anos. Já a equipe que entrou em campo na vitória por 3 a 1 diante do River Plate (ARG) somava 27,8, o que aumentou principalmente por conta da entrada de Samuel Xavier, de 30 anos, na vaga de Calegari, de 19.

Assim como Odair Hellmann conseguiu, eventualmente, balancear mais velhos e mais novos, Roger Machado tem tentado fazer o mesmo. Marcos Felipe tem 25 anos, nas laterais, Calegari pode balancear a experiência de Egídio, assim como Nino e Luccas Claro. No meio-campo, Martinelli é o mais novo, Yago Felipe está no intermediário, com 26, enquanto Nene ou até Cazares, de 29 anos, são mais veteranos. Na frente, seja com Kayky e Luiz Henrique ou Caio Paulista e Gabriel Teixeira, a juventude se contrasta com a rodagem de Fred.

Assim, o Fluminense incia o Campeonato Brasileiro depois de um início de temporada com o vice no Carioca e a classificação às oitavas de final da Libertadores. Pela frente ainda haverá a Copa do Brasil. O elenco será fundamental para que o Tricolor almeje sucesso. A estreia é neste sábado, às 21h, contra o São Paulo, no Morumbi.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos