Verstappen responde Wolff: novo regulamento não é para frear Mercedes

Federico Faturos
·3 minuto de leitura

Max Verstappen, piloto da Red Bull, respondeu aos comentários de Toto Wolff, chefe da Mercedes, que afirmou recentemente que a FIA havia feito de tudo para tentar frear o domínio da equipe alemã com o novo regulamento de 2022 para a Fórmula 1.

A Mercedes tem sido a líder indiscutível da categoria máxima do automobilismo mundial desde 2014, início da era dos motores turbo-híbrido, vencendo todos os 14 títulos mundiais disputados até então, uma marca inédita na F1.

Leia também:

Confederação italiana quer Ímola no calendário de 2021 da F1 na vaga deixada pelo Vietnã F1: Veja o que está em jogo no 'duelo' Hulk vs Pérez pela vaga na Red Bull em 2021 Hamilton elege sua atual temporada como a melhor, mas vê espaço para evoluir: "Sei o que preciso fazer"

Mas em 2022 a categoria inicia uma nova era, quando entrará em vigor uma importante mudança no regulamento, que inclui um novo carro e uma nova estrutura financeira e de governança para o esporte.

Recentemente, Wolff disse que tudo foi feito com o propósito de frear a equipe: "Tudo foi feito para nos parar. Nós estaremos lutando de igual para igual em termos financeiros, e tudo está meio restrito. Gostaria de ver a equipe com boas performances, apesar dessa mudança, a mais dramática que já aconteceu na F1".

Perguntado sobre o assunto pelo Motorsport.com, Verstappen apresentou uma visão oposta à do chefe da Mercedes.

"Acredito que essas regras são apenas o resultado dos novos proprietários da Fórmula 1 escutando as equipes e os pilotos. Escutam que é muito difícil ultrapassar e que queremos corridas mais animadas".

"Em Ímola, por exemplo, pudemos ver esses problemas em ação. Valtteri tinha um carro que estava três ou quatro décimos mais lento por causa de danos, mas eu não conseguia ultrapassá-lo. E eu era mais rápido, foi possível ver assim que consegui passar por ele".

Verstappen ainda destacou a necessidade da Fórmula 1 ter esses mudanças nas corridas para permitir uma disputa mais igualitária, fazendo igual ao que se vê na MotoGP.

"Precisamos que as corridas sejam mais emocionantes e que os pilotos possam andar mais próximos uns dos outros. Que a classificação não seja um fator decisivo no final de semana, como é agora. Olhem a MotoGP, por exemplo: você pode sair de décimo e mesmo assim vencer".

"Isso dificilmente acontecerá na F1, porque é muito difícil seguir outros carros na maioria dos circuitos. Acredito que, por isso, teremos essas novas regras a partir de 2022. E se essas novas regras farão que a Mercedes seja mais lenta ou não, é difícil de afirmar. Não dá para dizer isso agora".

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1, MotoGP e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

O que está em jogo nos bastidores do 'duelo' Hulk vs Pérez pela vaga na Red Bull em 2021

Podcast #076 – Hamilton x Schumacher: a comparação entre os campeões da F1

Your browser does not support the audio element.