Verstappen cutuca Bottas e diz que ambas Mercedes deveriam estar à sua frente

·2 minuto de leitura

Max Verstappen vem surpreendendo até agora na temporada 2020 da F1, com a segunda colocação no campeonato, à frente de Valtteri Bottas, da Mercedes. A má notícia é que o holandês está a 37 pontos de Lewis Hamilton, franco-favorito para a conquista de mais um título.

Leia também:

Button: Verstappen aniquila companheiros como faziam Schumi e Senna na F1 Verstappen: nove corridas em 11 semanas é o "limite" para a F1 F1: Entenda por que Verstappen detonou a Red Bull pelo rádio no GP da Espanha

Nesta quinta-feira, no dia de mídia dos pilotos da F1 antes da prova no mítico circuito de Spa-Francorchamps, Verstappen fez uma reflexão sobre a atual situação dele, da equipe e dos adversários, admitindo que a Mercedes está realmente “muito à frente”.

“É sempre difícil dizer, todos estão dando o melhor de si”, disse Verstappen. “Claramente eles (Mercedes) tiveram um inverno muito bom. Eles também encontraram muito desempenho em seus motores. Então, isso significa que estamos um pouco atrasados. E, sim, estamos apenas tentando fazer o melhor que podemos. Veremos, é claro, o que o resto da temporada trará, mas eles ainda estão muito à frente. “

“Mas não desistimos. Acho que essa é a mentalidade da equipe, vamos sempre continuar lutando e buscar todas as oportunidades que tivermos. E eu acredito nisso. Claro, para o próximo ano também pode ficar um pouco complicado porque as regras ainda são as mesmas e você não tem permissão para mudar muito nos carros. Então, novas regras surgirão e é uma nova oportunidade para todos.

Max recapitulou a temporada até agora, após seis etapas, alfinetou Bottas, e admitiu que as apostas maiores estão para 2022, quando a F1 terá um novo pacote de regras técnicas e esportivas.

“Bem, analisando em ritmo puro, os dois [Hamilton e Bottas] deveriam estar à minha frente no campeonato. Acho que sempre maximizamos o que podemos. Claro que estou muito feliz com isso.”

“Mas acho que não estamos aqui para ficar em segundo ou terceiro, queremos lutar pelo campeonato, mas você também tem que aceitar a situação em que nos encontramos, que realmente não somos capazes de desafiá-los. Sim, parece no papel, mas se você olhar para o ritmo puro, somos muito lentos. É claro que estamos contando com um dia ruim para a Mercedes ou um pouco de sorte para vencer uma corrida, ainda há muito trabalho a ser feito.”

TELEMETRIA:Ferrari descobre problema de Leclerc e Renault ‘tira o pé’ contra Racing Point na Bélgica

PODCAST: Na guerra de bastidores dos circuitos, qual é o calendário dos sonhos da F1?

 

Your browser does not support the audio element.