#Verificamos: É montagem foto de ex-presidente Lula coberto de ovos

Reprodução
Reprodução

por Nathália Afonso

Circula nas redes sociais uma foto que mostra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva após, supostamente, ser atingido por ovos. A imagem mostra o petista chorando com uma camisa manchada de amarelo. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da ​Lupa​:

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio
Reprodução
Reprodução

“Essa foto não tem preço. Aqui no Brasil você não rouba mais seu velho pinguço”
Legenda que acompanha a imagem que, até as 15h do dia 02 de dezembro de 2019, tinha sido compartilhada por 40 mil pessoas no Facebook

FALSO

A imagem analisada pela Lupa é uma montagem. Duas fotos foram utilizadas: uma, mostra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) chorando durante um discurso. A outra, mostra um político que, de fato, foi atingido por ovos em Santa Catarina.

A fotografia original do rosto de Lula foi feita pelo fotógrafo Victor Moriyama no dia 4 de março de 2016 e mostra o ex-presidente chorando. Na ocasião, ele discursava na sede do Diretório do PT, em São Paulo, após ser alvo de uma condução coercitiva realizada pela Operação Lava Jato. O petista não esta coberto de ovos, e usa uma camisa vermelha, e não azul.

A outra foto utilizada na montagem é do ex-prefeito de São Miguel do Oeste, em Santa Catarina, Nelson Foss da Silva (aqui e aqui). Ela foi tirada pelo fotógrafo Ivan Ansolin, do Portal São Miguel. Em março de 2018, ele estava participando de um evento a favor de Lula quando foi atacado por opositores do ex-presidente.

A imagem analisada pela Lupa começou a circular em 2018 e foi verificada pelo Boatos.org. Contudo, ela voltou a ser compartilhada após o ex-presidente ser solto. Em novembro, ele deixou a superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde estava preso, após o Supremo Tribunal Federal (STF) decidir que condenados pela Justiça só devem começar a cumprir sua pena após o trânsito em julgado da sentença. Neste ano, a imagem foi analisada pela AFP.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook

Leia também