#Verificamos: É falso que quem consegue prender a respiração por mais de 10 segundos não está infectado pelo novo coronavírus

Yahoo Notícias
É falso que quem consegue prender a respiração por mais de 10 segundos não está infectado pelo novo coronavírus - Foto: Reprodução
É falso que quem consegue prender a respiração por mais de 10 segundos não está infectado pelo novo coronavírus - Foto: Reprodução

por EQUIPE LUPA

Circula pelas redes sociais um post com a afirmação de que a falta de tosse ao prender a respiração por mais de 10 segundos é suficiente para descartar uma infecção pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2), causador da Covid-19. O texto diz também que febre ou tosse indicam que os pulmões já estão comprometidos com 50% de fibrose e que, para se proteger de uma contaminação, basta beber água a cada 15 minutos. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. A peça de desinformação apareceu também em outros pontos do globo e teve seu conteúdo checado pela coalizão de 91 plataformas de fact-checking, distribuídas em 40 países, da qual a Lupa faz parte. O grupo tem coordenação da IFCN e surgiu para verificar informações sobre o vírus e a doença. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa e dos integrantes dessa aliança​:

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio
É falso que quem consegue prender a respiração por mais de 10 segundos não está infectado pelo novo coronavírus - Foto: Reprodução
É falso que quem consegue prender a respiração por mais de 10 segundos não está infectado pelo novo coronavírus - Foto: Reprodução

“O novo CORONA VÍRUS pode não mostrar sinais de infecção por muitos dias”

Frase em post do Facebook que, até as 16h30 de 16 de março de 2020, tinha mais de 2,6 mil compartilhamentos

VERDADEIRO

Um estudo realizado por pesquisadores da Escola de Saúde Pública Johns Hopkins Bloomberg, nos Estados Unidos, identificou que o tempo médio de incubação do novo coronavírus é de aproximadamente cinco dias. Além disso, em média, os sintomas aparecem em 11,5 dias após o contágio inicial. Com isso, os cientistas estimaram que uma quarentena de 14 dias é suficiente para identificar o surgimento da Covid-19 em um paciente. O artigo com os resultados foi publicado pelo periódico Annals of Internal Medicine em 10 de março

“Quando tiver febre e / ou tosse e ir ao hospital, os pulmões geralmente têm 50% de fibrose e é tarde demais!”

Frase em post do Facebook que, até as 16h30 de 16 de março de 2020, tinha mais de 2,6 mil compartilhamentos

FALSO

Os pacientes com a Covid-19 não desenvolvem fibrose pulmonar progressivamente depois do contágio. Em entrevista para o AFP Factual, o epidemiologista Fernando de la Hoz, da Universidade Nacional de Bogotá, afirmou que essa afirmação é incorreta. “[A fibrose] é uma doença pulmonar causada por exposição crônica, às vezes durante anos, a poluentes industriais”, disse. “Em uma infecção aguda como a do coronavírus, não há tempo suficiente para que o paciente desenvolva fibrose. Pode, na verdade, ter uma pneumonia.”

Febre e tosse, que estão entre os sintomas da Covid-19 e de outras doenças, não são indícios de que um paciente desenvolveu fibrose nos pulmões. “Não há evidência científica que relacione a presença desses sintomas com o maior risco de desenvolver uma doença grave e menos ainda fibrose pulmonar”, afirmou a médica Gabriela Abelenda, do Serviço de Doenças Infecciosas do Hospital Universitário de Bellvitge, à plataforma de fact-checking Newtral.es. Isso só ocorreria numa última etapa, após a pneumonia, como uma cicatriz posterior a uma infecção muito grave. “Não sabemos ainda qual porcentagem dos pacientes que, depois de se recuperarem, tiveram fibrose pulmonar”, disse.

“Respire fundo e prenda a respiração por mais de 10 segundos. Se você completá-lo com sucesso sem tossir, sem desconforto, congestão ou aperto etc, isso prova que não há fibrose nos pulmões, basicamente indicando que não há infecção”

Frase em post do Facebook que, até as 16h30 de 16 de março de 2020, tinha mais de 2,6 mil compartilhamentos

FALSO

Não há nenhuma base científica para afirmar que, ao segurar a respiração por mais de 10 segundos, a ausência de tosse é suficiente para descartar uma infecção pelo novo coronavírus. “Na verdade, uma pessoa com qualquer tipo de pneumonia geralmente terá tosse e dificuldade respiratória. Chamamos isso de ‘dispnéia’ e não é diagnosticada quando alguém segura a respiração”, afirmou o infectologista Alejandro Ponce de León, em entrevista para a plataforma El Sabueso, do site Animal Político. Apenas um teste de laboratório consegue identificar uma contaminação pelo novo coronavírus. 

“CONSELHOS EXCELENTES SÉRIOS por médicos japoneses que tratam casos de COVID-19. Todos devem garantir que sua boca e garganta estejam úmidas, nunca SECA. Tome alguns goles de água a cada 15 minutos, pelo menos. PORQUE? Mesmo que o vírus entre em sua boca … beber água ou outros líquidos os lavará pelo esôfago e pelo estômago. Uma vez lá na barriga … seu ácido do estômago matará todo o vírus. Se você não beber água suficiente com mais regularidade … o vírus pode entrar nas traquéias e nos PULMÕES. Isso é muito perigoso”

Frase em post do Facebook que, até as 16h30 de 16 de março de 2020, tinha mais de 2,6 mil compartilhamentos

FALSO

O SARS-CoV-2 é um vírus que infecta as vias respiratórias e os pulmões. Logo, beber água não impede a sua entrada no corpo pelo nariz, por exemplo. “A principal mucosa onde se instala o vírus é a nasofaríngea e essa não é uma zona acessada pela água que bebemos”, afirmou Gabriela Abelenda, do Serviço de Doenças Infecciosas do Hospital Universitário de Bellvitge, à plataforma de fact-checking Newtral.es. Também é incorreto dizer que a água “lava” o vírus, porque ele penetra nas células e não pode ser atingido. 

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

Leia também